Terça-feira, 3 de Julho de 2007
Prelúdio a um 4th of July

3 de Julho nos EUA. Um pouco por todo o lado, a azáfama que precede o ritual da Independência toma conta da terra abençoada. O dia que se segue é complexo e há que estar preparado: são os direitos inalienáveis e os saldos do 4 de Julho pela manhã, é a liberdade e o barbecue pela tarde, é a constituição e o jogo de baseball pela noite. Tudo com muito fogo de artifício, muita Star-Spangled Banner e muitas preces pelos homens que defendem a democracia imperial lá longe, nesse além-mar povoado de bestas, barbudos e bombistas.

Bush entretanto segue o seu próprio ritual de família e perdoa o obscuro Scooter Libby, tal como o seu pai havia perdoado o secretário de defesa no escândalo Irão-contras: afinal de contas é só perjúrio e a prisão parece-lhe 'excessiva'. Sim, afinal o que é essa mentirinha no meio de tantas? E já agora, evita-se a chatice de dar motivos para falar a alguém que sabe demais. Elementary, my dear Watson. Ou no vernáculo do Presidente: 'it's just the one finger victory salute'.

A História não o preocupa: sabe que lhe será bondosa tal como foi com o novo pai da pátria, Reagan. E no entretanto, há mais que fazer. Há que virar as costeletas na brasa e urrar USA.



publicado por Vasco Carvalho às 05:20
link do post | comentar | ver comentários (3) |

Quinta-feira, 28 de Junho de 2007
Louisiana em chamas
Com calor e sem sítio para se esconder do sol, um jovem estudante negro de uma escola de Jena - pequena terra do Louisiana, nos EUA -, pediu ao director para se abrigar debaixo de uma árvore “reservada para brancos”. O responsável disse que não se importava com o sítio onde os estudantes se sentavam. Não se importava ele, mas o mesmo não pensaram os habitantes da terra. No dia seguinte, quando chegaram à escola, os alunos depararam com uma imagem que há muito se julgava perdida nos confins da história: 3 cordas estavam dependuradas da árvore.

Foi o bastante para agudizar a conflitualidade racial, sentimento reforçado quando os responsáveis pela “brincadeira” de mau gosto não foram alvo de qualquer medida disciplinar. Quatro meses depois, a 4 de Dezembro, um pequeno grupo de estudantes negros agrediu um jovem branco, que ficou com algumas nódoas negras e contusões. Começou ontem o seu julgamento, com as autoridades locais a pedirem 50 anos de prisão por um incidente que não o impediu de ir às aulas no próprio dia. A acusação, pasme-se, tentativa de homicídio em segundo grau. A fiança, inalcançável para as posses de qualquer família negra de uma localidade perdida do mundo, 138000 dólares. Numa terra onde isso ainda faz toda a diferença, só há jurados brancos e os familiares dos acusados não acreditam num julgamento justo. Ninguém os pode levar a mal, são anos e anos a verem uma árvore à distância que ainda marca o racismo da América profunda.

Hoje, continua este julgamento que deveria envergonhar qualquer pessoa com um pingo de decência. Quem está no banco dos réus não são os jovens que deram uns tabefes num colega de escola. São os habitantes de Jena, e o seu estúpido preconceito, e o sistema judicial norte-americano que ainda parece refém de um racismo que se julgava enterrado com as memórias do KKK.
Etiquetas: ,

publicado por Pedro Sales às 14:01
link do post | comentar | ver comentários (4) |

Quarta-feira, 27 de Junho de 2007
Tudo em família


Michael Corleone, "The Godfather", 1972

A CIA desclassificou ontem, e colocou na internet, o famoso dossier sobre as "jóias da família". O documento, que cobre as operações ilegais efectuadas pela CIA de 1950 a 1970, descreve como a agência norte-americana se infiltrou nos movimentos contra a guerra, raptou os seus activistas, escutou e perseguiu jornalistas e…John Lenon.

Mais interessante, revela os pormenores das tentativas de assassinato de líderes de outros países, incluindo Fidel Castro. Porque o poder nunca mete as mãos na porcaria, contrataram o "sucessor de Al Capone", e líder da Cosa Nostra de Chicago, para fazer o trabalho sujo. É o problema do pré-pagamento. Paga-se e nunca se sabe se vamos ser bem servidos.


Etiquetas:

publicado por Pedro Sales às 14:58
link do post | comentar |

Zero TV
ZERO DE CONDUTA
Filipe Calvão

José Neves

Pedro Sales

Vasco Carvalho


zeroconduta [a] gmail.com
Indecisão 2008
Subscreva
Zero links
arquivos

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Feeds