Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Zero de Conduta

Zero de Conduta

08
Ago08

Os jogos da (falta de) vergonha

Pedro Sales

Numa declaração sintomática sobre o clima político que rodeia os Jogos Olímpicos, os quatro ciclistas norte-americanos que chegaram a Pequim com uma máscara anti-poluição pediram desculpa pelo seu acto. Não queriam embaraçar ninguém, estavam apenas preocupados com os  efeitos da poluição. Compreende-se. A dois dias do início dos Jogos, a qualidade do ar em Pequim registava um valor de 88, a meros 12 pontos dos valores que as autoridades chinesas consideram perigosos para a saúde. Mas isso pouco importa quando valores mais altos se levantam. Segundo o responsável pela delegação norte-americana, “não queremos ir a casa dos outros e embaraçá-los, e acho que foi isso que eles fizeram”. Como o respeitinho é muito bonito, sempre foi adiantando que os desejos dos atletas têm que levar em conta a forma como as suas atitudes são percepcionadas pelas autoridades locais. Pois...costuma ser assim nas ditaduras.

08
Ago08

Os jogos da (falta de) vergonha II

Pedro Sales

A sala de imprensa dos Jogos Olímpicos. É aqui que parecem começar e acabar as preocupações do Comité Olímpico Internacional com os limites à liberdade de expressão na China. Fora isso não se passa nada. Não quero menorizar a importância das condições de trabalho dos correspondentes estrangeiros que se encontram em Pequim, mas talvez tivesse tido sentido tamanha preocupação e desvelo há uns anos atrás. Em 2001, mais concretamente, quando o mesmo COI não se importou em atribuir a organização dos J.O. a uma ditadura que não reconhece o direito de associação politica, liberdade sindical, religiosa, de expressão e liberdade de imprensa para todos os jornalistas que não estão a fazer a cobertura dos Jogos. Para que o evento desportivo mais caro de sempre pudesse ter lugar, milhares de pessoas viram os seus bairros arrasado e foram deslocadas para onde o Partido Comunista bem entendeu. Isso nunca preocupou o COI, que consentiu alegremente em ver a gerontocracia chinesa usar os Jogos Olímpicos como uma grandiosa máquina de propaganda do regime, mas agora faz de virgem ofendida porque o site da BBC e da Amnistia estiveram bloqueados na sala de imprensa. É mesmo não ter o sentido das proporções. Melhor, só ter sentido para a proporção dos negócios num novo e gigantesco mercado.

 

Vale a pena ler: We love Beijing, de Rui Bebiano.

20
Jun08

Adeus

Pedro Sales

Portugal começa um jogo com a Alemanha sempre em desvantagem. As equipas nacionais têm que jogar bem e não cometer erros. À Alemanha basta ser eficaz, algo que faz com a naturalidade de quem bebe um copo de água. Parece pouco, e é costume desvalorizarmos a forma “tosca” do seu jogo, mas há ali um entendimento quase obsessivo dos fundamentos do jogo que merece respeito. Portugal jogou razoavelmente, à excepção de um Deco superlativo, mas cometeu erros defensivos e tácticos inaceitáveis numa equipa de juniores. Scolari foi fiel à sua imagem de marca: ser sempre o último a reconhecer um erro. Ronaldo na posição de Nuno Gomes desaparece de jogo. Não tinha funcionado com a Turquia, não era certamente com as torres alemãs que iria resultar. Há uma semana que meio país parece atordoado com a  substituição do treinador mais sobrevalorizado de que me lembro. Eu, por mim, preocupava-me mais com a substituição de Deco. Foi dos seus pés que saiu a diferença entre o futebol triste e desgarrado da fase de qualificação e a equipa que esteve no europeu. A sanidade mental pode regressar aos noticiários. O país segue dentro de momentos.

17
Jun08

Com toda a dranquilidade

Pedro Sales

O Tuttosport fez as contas e constatou que, de acordo com o valor de mercado dos jogadores, a selecção portuguesa de futebol é a mais cara do Euro 2008. São mais de 300 milhões de euros. É verdade que ajuda ter Ronaldo, que custa mais que toda a equipa da Áustria, ou o facto dos extremos nacionais estarem avaliados em 185 milhões de euros. Um dado em comum. Simão, Quaresma, Ronaldo e Nani são todos oriundos das escolas de formação do Sporting, de onde já tinham vindo Figo ou Futre. O mais curioso é que, apesar de se ter notabilizado por ter os melhores extremos do mundo, e de ter facturado mais de 60 milhões de euros em poucos anos com a sua transferência, o Sporting deixou de jogar com extremos. Ou melhor, as escolas de formação jogam, mas a equipa principal não. Fiel ao tal losango, de Paulo Bento, o Sporting parece andar a formar jogadores para as outras equipas. Deve ser a isso que Soares Franco chama “valorizar os activos do Sporting”. Eu chamar-lhe-ia outra coisa.

02
Jun08

A informação que faltava

Pedro Sales

O jornal da Noite da SIC anunciou ontem um importante exclusivo: as imagens, captadas por um telefone satélite, do interior do avião que levou a selecção à Suíça. Ver os jogadores a recostarem-se nos cadeirões da classe executiva era a informação que faltava aos portugueses para se aperceberem da grandiosidade dos feitos que esperam a equipa das quinas. Já conhecíamos todos os cantos dos quartos de hotel, os gostos pessoais de cada um e o local onde Petit compra as meias. Mas nunca os tínhamos visto no avião. Por um momento, deixou-se de lado o principal assunto do estágio. Os clubes, actuais e futuros, das vedetas lusas. Com tanta convívio com os jornalistas que mais parecem agentes dos jogadores, e com os verdadeiros agentes, talvez exista algum espaço mental para os jogadores ouvirem o que é que Scolari tem para dizer. De preferência antes de chegar o primeiro jogo.

12
Mai08

10

Pedro Sales

É normal que sejam os benfiquistas quem celebra de forma mais efusiva a despedida de Rui Costa. Mas Rui Costa não foi só um símbolo do Benfica. Foi um dos melhores jogadores mundiais da sua geração e um dos jogadores mais influentes da selecção nacional que melhor futebol praticou depois  de Eusébio. Entre 1995 e 2001, Rui Costa tornava um conjunto de jogadores numa equipa temível e fez da Fiorentina, que era ele e Batistuta, uma das melhores formações de Itália. Para quem já só tem a memória dos últimos anos, talvez valha a pena recordar que foi com exibições como a que fez contra a Inglaterra (um dos jogos mais memoráveis de sempre, com direito a repetição 4 anos depois) que Rui Costa convenceu meio mundo de que Nuno Gomes era um dos mais promissores avançados europeus. Digam lá que não é de génio?

21
Abr08

Um patinho nada patusco

Pedro Sales

Há dois dias que a imprensa questiona como foi possível que a direcção do Boavista tenha sido enganada pelo conto do vigário do “investidor” Sérgio Silva? Curioso, mais a mais quando este vigarista patusco não retirou um cêntimo ao clube. Bem mais interessante, e relevante, parece-me tentar perceber como é que a família Loureiro foi enganando as contas do clube durante anos, nomeadamente o presidente do conselho fiscal, obrigado a avalizar investimentos que lesaram e descapitalizaram o clube em dezenas de milhões de euros, sem que ninguém desse por nada. Essa é que é a pergunta que eu gostava de ver respondida, de preferência pelo actual presidente do conselho de administração da Assembleia da República, o deputado do PS José Lello, e presidente do Conselho fiscal do Boavista durante o consulado da família Loureiro e que agora transitou para a Mesa da Assembleia Geral do clube. O mesmo que até fez uma auditoria às contas de 2004, quando começaram a surgir as primeiras dúvidas sobre a veracidade das finanças axadrezadas, mas nunca se apercebeu de nada. Mesmo para o habitualmente baixo nível de clarividência de José Lello, não deixa de ser comovente tanta "ingenuidade".

Adenda, via Blasfémias: Relatório da Auditoria à SAD do Boavista e o Relatório de auditoria ao Boavista F.C.
07
Abr08

Sino-Hooligan

Vasco Carvalho

Ronaldinho em Pequim,
chegada a Pequim na Tour Asiática do Barça, Agosto de 2007.

No passado Janeiro, o canal de televisão chinês CCTV-5 mudou o seu nome para Canal Olímpico.  O canal de desporto nacional 24/7, que por norma aposta no futebol chinês e nas transmissões do futebol europeu, está em reconversão para difundir o espírito olímpico de 2008 aos milhões de Chineses.

Os adeptos de futebol também estão em reconversão. Em Agosto de 2007, durante a visita do Barça à China, e em preparação para os Jogos de 2008, a polícia de Pequim multava e expulsava dos estádios todos os adeptos que utilizassem o "chinese equivalent of the F-word". A video-vigilância nos estádios, já comum na Europa, tem sido e vai ser empregue para manter os fãs na ordem, assegurava a embaixada Chinesa nos EUA.

Os problemas com os hooligans chineses já não são novos. Lá, como cá, os adeptos usam o campeonato de futebol fraco e corrupto para tomar as ruas aos milhares e, comme il faut, confrontarem a polícia. Lá, como cá, sob o manto sagrado da selecção nacional, prespira nacionalismo. Em Agosto de 2004, quando a China perdeu com o Japão, milhares de fãs chineses queimaram bandeiras Japonesas e atacaram a embaixada em Pequim. E os maiores jornais do país clamam por sangue na Associação Chinesa de Futebol. Tudo muito familiar.

A 80 euros o bilhete para a final do Torneio Olímpico de Futebol, a turba vai poder pagar e entrar no estádio. Urge portanto acalmar os ânimos.

PS: Por cá é a agência oficial de viagens grátis para árbritos, a Cosmos - do Murdoch tuga, Joaquim Oliveira- que detem o monopólio dos bilhetes para os Jogos Olímpicos. São 4000 Euros se faz favor, bilhetes para os eventos não incluídos.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

ZERO DE CONDUTA

Filipe Calvão

José Neves

Pedro Sales

Vasco Carvalho


zeroconduta [a] gmail.com

Arquivo

  1. 2008
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2007
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D