De Nuno Ramos de Almeida a 8 de Setembro de 2008 às 00:13
Pedro,
Não defendo a vulgarização da prisão preventiva, mas acho este novo código de processo penal um verdadeiro desastre que serve como uma luva a aqueles que pretendem que casos de colarinho branco, envolvendo poderosos, não sejam investigados.
E parece-me que o maior inimigo da justiça não é o sindicato dos magistrados do ministério público.
É conhecida a embirração do ministro em relação aos sindicalistas, o que me parece estranho é que tu optes pela posição governamental.


De Pedro Sales a 8 de Setembro de 2008 às 03:02
Nuno,

As associações sindicais de juízes e magistrados públicos andam há várias semanas numa campanha para acabar com os excessos garantistas " das leis. O porta-voz da associação dos juízes foi ao Mário Crespo dizer que se fossem os políticos o alvo da criminalidade, e não o cidadão comum, já se tinha posto um ponto final na vaga de assaltos que passava todos os dias nas televisões.

Não hesitaram mesmo em cavalgar a onda mediática com os crimes para vir a público dizerem que é a consequência da diminuição da prisão preventiva, mesmo sabendo que todos os assaltos à mão armada possibilitam que seja decretada a prisão preventiva.

Estou-me nas tintas para o Governo. Isto não tem nada a ver com as suas guerras com os sindicatos, eu não quero é viver numa sociedade policial em que o único método concebível para acabar com a criminalidade é pôr tudo atrás das grades a esperar não sei quantos anos pelo julgamento.


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres