Comentários:
De Jorge A. a 7 de Setembro de 2008 às 15:19
Mas caro Pedro,

a taxa de aprovação de Cavaco Silva na sondagem do Expresso é de 50,8%:
http://clix.expresso.pt/gen.pl?p=stories&op=view&fokey=ex.stories/400430

na anterior era de 54,7%:
http://aeiou.expresso.pt/gen.pl?p=stories&op=view&fokey=ex.stories/383630

Como é que você se refere a uma taxa de aprovação de 33,4%? Fazendo a diferença entre actuação positiva e actuação negativa? É a isso que chama taxa de aprovação? Como costuma dizer um comentador conhecido da blogosfera nacional, um pouco de seriedade, se faz favor.


De Pedro Sales a 8 de Setembro de 2008 às 03:08
Sim. O método é exactamente o mesmo que o Expresso utiliza com todas as outras figuras políticas. Em todo o caso, independentemente do método, os resultados são claros. Há cinco meses que Cavaco Silva desce a pique e os seus resultados são inéditos para um PR.

Jorge Sampaio abandonou Belém com 55% de aprovação e Soares andou sempre pelos 70 e muitos.


De Jorge A. a 8 de Setembro de 2008 às 13:12
Caro Pedro,

"Sim. O método é exactamente o mesmo que o Expresso utiliza com todas as outras figuras políticas."

Mas o Expresso tem o cuidado de falar em saldos e indices de popularidade - nunca fala em taxas de aprovação (e se fala, erra). De resto, e concordando contudo com o seu ponto, o de que Cavaco arrisca-se a não ser eleito para segundo mandato, não sei contudo se apresentaria tal como uma desvantagem. Se o presidente é eleito somente para granjear simpatia, mais vale acabar com o cargo.


Comentar post