Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Zero de Conduta

Zero de Conduta

18
Ago08

E nunca mais digam mal do choque tecnológico

Pedro Sales

José Sócrates regressou de férias para anunciar o “compromisso” da PT em criar 1200 postos de trabalho, para o ano que vem, num gigantesco campo de trabalhos forçados "call center" em Santo Tirso. “Postos de trabalho qualificados”, sublinha. Os trabalhadores são qualificados, o trabalho é que é desqualificante e degradante. Os “call center” não são a imagem de modernidade apresentada por José Sócrates, são o dia-a-dia da geração dos 500 euros: trabalho semi-escravo, pago a 2,5 euros à hora, que faz tábua rasa das qualificações de milhares de jovens, com horários e condições de trabalho completamente absurdas. É o salve-se quem puder com vista para o cubículo da frente e do lado. José Sócrates está contente. Encontrou a razão de ser do choque tecnológico. Pôr meio país a atender o outro.

3 comentários

  • Imagem de perfil

    Pedro Sales 21.08.2008

    Calvin,

    Conheço umas boas dez pessoas que trabalham em call-centers, onde é que foi buscar a ideia de que não sei do que estou a falar. Pronto, voçê gosta de trabalhar num cubículo, com uma pressão constante do outro lado da linha, com tempos de atendimento e a recibos verdes. Mas não nos venha dizer que é trabalho qualificado e que o seu sentimento é maioritário entre os trabalhadores. Vá ver os comentários a esta notícia no Diário Económico e verá alguns relatos bem diferentes dos seus.

    Quanto aos 2,5 euros-hora, era a média que as empresas pagavam em 2006. Em todo o caso, os seus 600 euros a recibos verdes, depois dos descontos para a Segurança Social e impostos não deve andar muito longe desse valor horário.


    Agora n
  • Sem imagem de perfil

    ZMS 22.08.2008

    Vamos então por pontos:
    -Não tinhamos tempo de atendimento.
    -Não trabalhavamos em cubiculos como se vê na imagem.
    -Nunca disse que era trabalho qualificado.
    -O meu sentimento não é maioritáio nem minoritário, tanto havia gente a criticar como gente que gostava do trabalho. Relembro que fazia atendimento a clientes com problemas de acesso a internet. Do que falei com todos os meus colegas, o que mais gostavam era ter-se horario 6+3 e possibilidade de fazer trocas de dias de trabalho uns com os outros.
    -Eu trabalhava em part time! Continuo a achar que pagam bem.
    -E por ultimo, generalizar o call center da PT com a media nacional não é correcto. Não digo que hajam call centers maus, mas os da PT não são os horrores aqui contados. É a minha opinião, e vale o que vale.




  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    ZERO DE CONDUTA

    Filipe Calvão

    José Neves

    Pedro Sales

    Vasco Carvalho


    zeroconduta [a] gmail.com

    Arquivo

    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2007
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D