Quinta-feira, 14 de Agosto de 2008
Aprendeu bem e depressa

“Eu só quero que ele retire as passagens que sabe não serem verdadeiras”. Quem o diz é Salman Rushdie, que pretende processar um dos agentes especiais que assegurou a sua segurança, esperando que o tribunal impeça a publicação de On Her Majesty's Service. Um dos símbolos mundiais da liberdade de expressão, diz que o livro deste polícia o apresenta como um “homem mau", razão suficiente para pretender censurar a sua publicação. Tantos anos passados, e Rushdie parece-se cada vez mais com os ayatolas. A verdade é só uma e cabe aos eleitos defendê-la. Salman Rushdie aprendeu com os mestres.



publicado por Pedro Sales às 15:33
link do post | comentar |

Comentários:
De MFerrer a 15 de Agosto de 2008 às 11:29
O Pedro sales já teve melhores dias: Então , segundo diz, o S.R. vai processar alguém que publicou um livro contendo faldsas afirmações? E isso é censura? Valha-o Deus!
Já não se pode ter direito ao bom nome?
Já não se pode recorrer aos Tribunais em caso de a nossa propriedade ou prestígio ser atacada, apenas porque somos famosos?
Ou o S.R. tem os seus direitos limitados pela sua "origem"? É cidadão de 2ª?
Onde é que isso está em vigor? na libertária América?
Na França?
Só talvez nos países onde campeia a falta de valores democráticos é que os cidadãos não têm direito a recorrer aos tribunais para defender a sua honra.
O post é doentio e o comentário anterior é preconceituoso contra o islamismo.
Fruta do mesmo cesto?
MFerrer


De Pedro Sales a 15 de Agosto de 2008 às 14:15
Mferrer,

Quem diz que as são falsas as situações que se encontram no livro é o próprio Salman Rushdie. É a palavra de um contra a do outro. SR diz que fala em defesa da "verdade", um conceito um pouco difícil de definir, convenhamos. E pretende impedir a publicação de um livro porque este o apresenta como um "homem mau", isto é, um homem com defeitos. COmo todos nós. Já viu o que é publicado, todos os dias, sobre os políticos e líderes das principais empresas. E se desatam todos a embargar a saída das revistas e jornais? A defesa do bom nome deve ser invocada em tribunal em casos extremos, o que não me parece ser o caso. Para além do mais, pelas razões que me parecem evidentes, SR deve ser dos mais comedidos a levar casos destes a tribunal.


Comentar post

Zero TV
ZERO DE CONDUTA
Filipe Calvão

José Neves

Pedro Sales

Vasco Carvalho


zeroconduta [a] gmail.com
Indecisão 2008
Subscreva
Zero links
arquivos

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Feeds