Comentários:
De António Sousa a 2 de Julho de 2008 às 01:08
Olá Pedro

Li com atenção o teu texto, que me fez procurar todas as declarações do Jerónimo de Sousa sobre o assunto das convergências. Do mesmo modo, tenho acompanhado as acções do BE e dos sectores de esquerda do PS.
Em bom rigor acredito que ninguém que verdadeiramente uma convergência. O PCP está apostado numa estratégia de afirmação própria, aliás, tal como o BE. A "esquerda do PS" tem um dilema; gostaria de ter um governo de esquerda, mas não se dispõe e ser uma esquerda sem governo. Estão muito afeiçoados ao poder.
Eu, pessoalmente, desejava que o PCP e o BE se afirmassem claramente como uma solução para uma alternativa de que o país carece, que tivessem a ousadia de vir a terreiro com propostas concretas, a partir das quais estariam dispostos a viabilizar um governo com uma política de esquerda, que se afirmassem como parte da solução e que no extremo obrigasse o PS a dizer que não queria.
Mas tudo isso eu vejo com grande impossibilidade.
Não só por responsabilidade do PCP, que a terá, mas também do BE, que ainda não resolveu o seu problema com o poder, como se tem percebido pela inconcebível situação que se vive com o Vereador Sá Fernandes, nem com o alegristas e afins, que no toca a reunir lá estarão à mesa de Sócrates.
Mas é pena, muita pena.
Por isso tudo, e de forma muito franca, digo-te que acho que foste excessivo na tua crítica à falta de ousadia do PCP.

Bruno Simão


De vladimir a 2 de Julho de 2008 às 02:43
assino por baixo


De renata a 2 de Julho de 2008 às 06:02
Não se faça de sonso! Então ainda há um mês fizeram um comício das "esquerdas" a meias com o Alegre e não quiseram convidar o pcp a estar presente e agora vem para aqui fingir que o BEs quer a unidade com o PCP? Que tal deixar de mentir?


De Pedro Sales a 2 de Julho de 2008 às 09:33
Onde é que eu escrevi que entendo que o Bloco deve fazer uma "Unidade com o PCP"?. A única coisa que disse foi que, falar em convergências de esquerda, e ignorar os sectores critícos do PS é ter as vistas curtas. Parece-me evidente.


Comentar post