De António Vilarigues a 2 de Julho de 2008 às 14:27
Caro Pedro Sales
1. O que está escrito no Comunicado do CC é que o PCP defende «(...) uma verdadeira alternativa assente na ruptura com a política de direita.». E o Pedro?
2. O que está escrito no documento do CC do PCP é que entende que «(...)A iniciativa que juntou BE e Manuel Alegre é (...) uma iniciativa sectária que, falsamente apresentada como «da esquerda», se baseia numa concepção de exclusão do PCP, visando ao mesmo tempo acusá-lo, hipocritamente de isolacionismo. Esta acção, desprovida de um propósito claro de ruptura com a política de direita (...)». E qual a sua análise? PORQUE NÃO FOI O PCP CONVIDADO?
3. Lamento que tenha a suprema leviandade de assentar uma análise política no «diz que disse»
(ver aqui http://tempodascerejas.blogspot.com/2008/07/o-pblico-e-reunio-do-cc-do-pcp.html )
4. O seu argumentário faz-me lembrar uma história real. Há mais de uma vintena de anos Santiago Carrilho, então secretário-geral do PCE, afirmou em entrevista ao “Expresso” que os comunistas espanhóis tinham escondido nas suas casas clandestinas dirigentes do PCP. Fernando Blanqui Teixeira escreveu em nome do Secretariado do CC do PCP que tal até poderia ter sido verdade. Mas a realidade tinha sido outra, precisamente a inversa: comunistas portugueses tinham escondido nas suas casas clandestinas dirigentes do PCE. Ao que o «Expresso» contrapôs: entre a versão do PCE e a do PCP escolhemos a do PCE…
5. Assim está o Pedro: entre os documentos do PCP e a Lusa escolhe a Lusa e o “DN”. Francamente passa-lhe pela cabeça que o secretário-geral do PCP diria uma coisa e o CC outra?
6. Pergunto: onde está escrito (http://www.pcp.pt/) que o PCP não quer coligações ou entendimentos?


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres