Comentários:
De Manuel Leão a 15 de Junho de 2008 às 22:57
Ao que chega o desplante! Eu não me lembro de ter sido fiador de nenhum contrato de fornecimento de energia.
Entidade reguladora de quê? Reguladora de dívidas?Será isto constitucional?

E, se amanhã, os seus gestores fizerem um negócio ruinoso, por exemplo, comprar uma empresa falida ou qualquer coisa do género, quem vai pagar? E não há ninguém que ponha termo nestes desvarios?


De fs a 16 de Junho de 2008 às 00:10
O que vale é que se não gostarmos podemos sempre escolher outro fornecedor de electricidade - o mercado está liberalizado, não está? - podemos escolher... por exemplo... deixa cá ver... a EDP.


De AlbertoGomes a 16 de Junho de 2008 às 14:13
A ERSE é a antítese do Robin dos Bosques.
Rouba aos pobres para dar aos ricos.


De Rosa Maria a 16 de Junho de 2008 às 14:18
Aqui está matéria a justificar" um levantamento popular" de consumidores /clientes da EDP!!!!
Ridícula e injuriosa para os consumidores, também é a "aceitação" por parte da DECO deste roubo! Por mim, se tal medida for implementada - desta forma ou de outras encapotadas, vou também deixar de pagar....!!!Talvez a Deco (para assegurar a socialização dos custos da EDP!!!) queira pagar por mim!...


De carlosbarbosaoli a 16 de Junho de 2008 às 19:52
Não é ainda um dado adquirido. No dia 18 a questão vai ser sujeita a debate público. A DECO tem assento no CC da ERSE. Estou curioso em saber qu posição vai tomar.


De Hermes a 16 de Junho de 2008 às 23:22
Privatizar lucros e socializar riscos e despesas necessárias e desnecessárias não é apenas uma contingência da política económica portuguesa e deste partido do governo. É uma lei universal do capitalismo. O Estado serve como instrumento de ordenação da concorrência, de criação de condições infra-estruturais básicas mas que não são financeiramente apetecíveis e de mercado fundamental para o sector privado.


Comentar post