Comentários:
De Francisco Clamote a 3 de Junho de 2008 às 23:01
O relatório será inútil. Em face do resultado, concordo com a ilação. Suponho, no entanto, que sendo a Autoridade da Concorrência uma entidade independente, parece que o Governo não poderia antecipar o resultado. Assim sendo, já não parece lícito tirar a conclusão de que a encomenda do relatório só teve o propósito de "permitir ao Governo ganhar algum tempo para aliviar a pressão popular e tentar sacudir a água do capote".
Será que sou ingénuo ?
Cumprimentos


De Paulo Mouta a 8 de Junho de 2008 às 04:09
Perante a actual situação é urgente que a Galp volte para uma situação de osse maioritária do estado português. E é fundamental que se voltem a criar tecto máximos para os preços dos combustíveis de acordo com uma relação directa entre preço de compra e de venda. E seria de todo pertinente taxar a mais-valia criada pela manutenção das margens face ao aumento do valor líquido.


Comentar post