De GWB a 23 de Maio de 2008 às 16:39
Sarkozy, que quer centrar a agenda europeia na imigração e quer que o memorando da imigração seja relativo a expulsões e afastamentos, agradece a Berlusconi, que está radicalizando o discurso contra os imigrantes ainda mais do que qualquer construção securitária europeia poderia supor.
Tanto se dizia que era preciso ver a política de imigração com cuidado. Integração, direitos, direitos políticos, regularização? "Não se pode abrir muito, para a balança não se desestabilizar e se acirrarem conflitos", diriam alguns.
A balança se desestabilizou à mesma. E, enquanto certos partidos que se dizem de esquerda foram cedendo a conservadorismos e restrições securitárias, à política do "passo a passo", para não criar resistências e xenofobias, enviezadas soluções que não passam por reconhecer e criar uma pedagogia de tratar os de fora como iguais (que são), a direita começou a dinamizar o seu discurso e começou a esticar a corda para o lado oposto, vendo até onde conseguem ir.
Começaram-se a partir os equilíbrios (que se haviam eram poucos). Com Berlusconi criminalizando a imigração ilegal, as restantes direitas europeias não precisam grandes argumentários para atacar as já poucas garantias dos imigrantes na Europa.


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres