De Pedro Sales a 19 de Maio de 2008 às 17:56
Luís e Doomer,

Isso pode muito bem ser verdade, só que não existe, actualmente, um problema de escassez de petróleo. Basta ver esta notícia da CNN (http://edition.cnn.com/2008/POLITICS/05/16/bush.saudi.arabia/index.html) na qual a Arábia Saudita recusou um pedido de Bush para aumentar a sua produção. A Arábia Saudita tem capacidade para produdir mais 2 milhões de barril por dia e não o faz porque a OPEP está a agir concertadamente. Mais, a actual produção diária (87 milhões de barris) está em linha com o consumo (86), pelo que é difícil perceber onde é que o aumento do petróleo se fica a dever a um eventual problema de oferta:

http://news.xinhuanet.com/english/2008-03/15/content_7792925.htm

2. Analisar o preço do petróleo sem levar em consideração que, com a crise do subprime, os capitais especulativos fugiram para novos mercados, como os bens alimentares e o petróleo, é que me parece estranho e nada consentâneo com o que se lê na imprensa económica internacional. Basta ler o que diz a mesma notícia da CNN cujo link está neste comentário:

"But Saudi Arabia -- and many economists -- say the high prices are a result of market speculation, the weak dollar, and demand from the developing world rather than a shortage of supply."






De Luís Lavoura a 19 de Maio de 2008 às 18:18
Pedro, não acredite nessa história de que a Arábia Saudita pode produzir mais 2 milhões de barris por dia. Isso são coisas que por aí se dizem porque os economistas, pessoal de direita e conservador, gosta de acreditar nessa história da carochinha.

Mesmo que se acredite nessa asneira, o facto permanece: como a Arábia Saudita não produz os tais 2 milhões a mais, o mercado está com escassez. Isso é corroborado pelo facto de, qualquer perturbação política na Nigéria ou qualquer tempestade no México, imediatamente o preço sobe. Ora, isso só pode acontecer em situação de escassez.

É muito engraçado essa de a Arábia Saudita dizer que os peços aumentam, não devido a escassez de oferta, mas sim devido à procura por parte de países em desenvolvimento. Eu diria que uma coisa é equivalente à outra: procura a mais é equivalente a oferta a menos. Ambas fazem o preço subir.

Eu penso que o Pedro Sales não percebe bem o que é especulação. Especulação é criar uma falta artificial de um produto através da retirada do mercado de quantidades significativas desse produto. Nesse sentido, poder-se-ia dizer que a Arábia Saudita está a especular ao evitar extrair os tais 2 milhões de barris suplementares - se efetivamente o estivesse a fazer, coisa que eu não acredito. No entanto, nem toda a escassez é resultado de especulação. Quando há escassez o preço sobe por simples ação da Lei da Oferta e da Procura. Isto não é especulação nenhuma, é um resultado do mercado. A subida do preço tem por função obrigar as pessoas a consumirem menos, por forma a ajustar a procura à oferta.

Por exemplo, quando o tempo na Primavera está mau o feijão verde sobe de preço. Isto não se deve a os agricultores serem uns especuladores. Os agricultores não estão a especular com o feijão verde, não estão a guardá-lo em casa para criar uma falta artificial dele. Os agricultores continuam a produzir o feijão verde que podem, mas o preço sobe por forma a que menos pessoas comam feijão verde e ele chegue para as que têm dinheiro para o comprar. É ridículo pretender que o preço do feijão verde sobe devido à especulação, quando existe uma explicação muito mais simples para a subida.

Luís Lavoura


De Pedro Sales a 19 de Maio de 2008 às 18:30
Luís,

Vamos lá a ver se nos entendemos. Não sou eu que falo de especulação. É a maioria dos economistas de todo o mundo. Não foi por acaso que comecei o post com os números do capital especulativo que circula todos os dias nos mercados energéticos. Quanto à Arábia Saudita, parece-me que a concertação dos preços da OPEC também justifica a tese da especulação.


De Miguel Madeira a 20 de Maio de 2008 às 13:31
Bem, pelo menos um economista (o Paul Krugman) acha que a subida do preço do petróleo não é especulativa:

http://www.nytimes.com/2008/05/12/opinion/12krugman.html?ex=1368244800&en=c899176fff63fce4&ei=5124&partner=permalink&exprod=permalink

http://krugman.blogs.nytimes.com/2008/05/13/more-on-oil-and-speculation/


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres