De Marco Alberto Alves a 18 de Março de 2008 às 18:47


Pedro Sales tem absoluta razão quanto a Cavaco: a sua actuação nada tem de transparente e muito menos de pedagógica, tratando o comum dos Cidadãos portugueses (que aliás nele votaram) como incapazes de compreender a "alta política" onde ele se situa e move. Talvez eles lhe retribuam condignamente o gesto, no dia aprazado.

José Guinote et alt. têm razão quanto ao essencial: as Câmaras também (disse TAMBÉM) não são propriamente de fiar no que toca à gestão de terrenos do tipo "carninha do lombo", que é a melhor classificação técnica que já ouvi dar pelos peritos às zonas ribeirinhas.


Também porque, como já se comprovou (e mais ainda se teria comprovado caso tivesse ido avante o abominável POZOR), a APL também não é de fiar.


Veja-se a linda obra que edificaram no Cais do Sodré. Por isso, entre Estado e Câmaras, venha o Diabo e escolha.


E uma boa maneira de evitar tentações "à la longue" - tipo "passam 20 anos e o edifício passa a ser nosso" - é mesmo não permitir que os terrenos ribeirinhos tipo "carninha-do-lombo" (ou até os da alcatra...) PERCAM O ESTATUTO de Domínio Público, algo que, ao que parece, o Decreto-Lei subtilmente permitia "apagar" [mãozinha muito sábia já de algum assessor jurídico experiente (= manhoso), muito recentemente convertido ao socialismo governante?].


Por isso não espanta o "consenso político" - muinicipal, obviamente, NÃO NACIONAL - em torno desta apetecível "reforma", maquilhada para os eternos idealistas e idiotas úteis com o manto mais ou menos diáfano daqueles truísmos do costume, tipo "devolver a Cidade ao Rio", ou outras balelas para consumo público de massas ignaras (e gáudio privado dos fazedores de negócios à luz de candeeiros a petróleo...).


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres