Sexta-feira, 19 de Outubro de 2007
200 000
Foto de Paulete Matos
A CGTP juntou ontem 200 mil pessoas contra o governo e a flexigurança. Foi uma das maiores manifestações em 30 anos de democracia. 200 mil não é apenas um número impressivo, é o sinal de uma alteração qualitativa da organização política do descontentamento social no nosso país. Em primeiro lugar é um sinal, evidente, da vitalidade dos sindicatos. E é um sinal que, por detrás do sorriso de Sócrates com os 3% do défice, há um cada vez maior número de portugueses que não agradece os "parabéns" do primeiro-ministro ao espírito de sacrifício dos portugueses. Quem vê o poder de compra diminuir pelo 9.º ano consecutivo, e ainda vê o ministro das finanças garantir que não existirá "folga" enquanto não se chegar aos 0,4% de défice, não encontra muitas razões para festejar. Não foi apenas uma franja de comunistas e bloquistas quem ontem se manifestou. A desvalorização que o primeiro-ministro fez do protesto é um dos sinais do autismo que parece ter tomado conta do governo a meio do seu primeiro mandato. Continuar a agitar o papão comunista ainda pode custar bem caro ao primeiro-ministro.

PS: Não foi só o governo quem entendeu desvalorizar a manifestação. No mesmo dia em que coloca na capa uma foto do Zidane e outra da Deborah Kerr, o Público não encontrou espaço para uma foto desta gigantesca manifestação, em mais uma prova de que a imprensa está definitivamente tomada pela esquerda.
Etiquetas: ,

publicado por Pedro Sales às 15:07
link do post | comentar |

Comentários:
De sucedâneo a 20 de Outubro de 2007 às 15:51
Ai! Se fossem 10 mil é porque eram poucos e porque os sindicatos isto e aquilo, se são 200 mil é porque foram contratados. Irra!
É um facto que há muito descontentamento. É um facto que os políticos são lá postos para defender os interesses dos cidadãos (coisa que não fazem) e é claro que deviam dar atenção a estas manifestações (mais não seja, para se manterem no poleirinho).
O país é feito de milhares de umbigos, não vale a pena olhar só para o nosso. Ainda bem que há quem esteja bem na vida. Ficamos felizes por isso, mas há quem esteja mal e quem esteja muito mal!
E claro: estas coisas nunca têm a devida atenção dos media. O cãozinho do Mourinho faz mais furor que uma mega concentração de gente que sofre as passas do Algarve todos os dias para poder ter uma vida minimamente condigna.
Impressionante como de há uns anos para cá se desvaloriza com uma leviandade grotesca o trabalho e esforço alheio!


De busilis a 20 de Outubro de 2007 às 12:16
A energia potensial começa a ser convertida em energia cinètica.Os linos e anònimos que se aguentem.


De Floyd a 20 de Outubro de 2007 às 03:40
O homem está a governar bem. Certamente que sim. Mas qual homem? Governar o quê? Parece-me que ainda há quem não compreenda que a economia e os números que esta produz só servem para alguma coisa se se aplicar às pessoas reais. Este governo é sinónimo de mentira constante, de fraude, de extorsão aos contribuintes, de desemprego, de despesismo e de precaridade. Burros são certamente os que não sabem observar as estatísticas do desemprego. Ou os números dos trabalhadores a recibos verdes há vários anos consecutivos para disfarçar a ausência de contratos de trabalho. Ou os contratados a prazo em permenente rotação na distribuição alimentar e no grande retalho. Ou os salários de miséria que são pagos nestes sectores. Ou os trabalhadores que, com vínculos precários ou mesmo mais estáveis vão ser obrigados a trabalhar todos os dias do mês de Dezembro em lojas como a Rádio Popular quando os horários oficiais são completamente diferentes (quem fiscaliza estes senhores e porque nunca se ouve falar de intervenções da ASAE ou do IDICT nestas empresas?). Ou os trabalhadores qualificados, licenciados em áreas distintas que vão da saúde às engenharias em tralbalhos temporários e estupidamente mal pagos... Ou são burros... ou então serão os verdadeiros carneiros...


De Lino José a 19 de Outubro de 2007 às 22:29
Dos 200 mil, quantos eram Funcionários Públicos ? E quantos eram carneiros ? E quantos eram burros ?

Mas agora, o governo governa a partir da rua, ou a partir das directivas do Komité Central, ou das ordens dos empregados do PCP na CGTP e na Fenprof ?

Ganhem juizo ! Deixem o homem governar, porque está a governar bem.


De Anónimo a 19 de Outubro de 2007 às 20:52
Certamente que o "mais um demente anónimo" conhecia as 200 mil pessoas da manifestação. E certamente que as situações anteriormente abordadas nunca acontecem (isto em manifestações da esquerda).

----

"O seu argumento dá para tudo, até para perguntar se os que votaram no PS "sabiam o que [lá] estavam a fazer"."

A diferença é que nas votações o que conta são sobretudo as percentagens, que não são muito alteradas por este facto (pois deve influenciar todos os partidos). Mas nas manifestações e greves, contribui para que não se tenham valores realistas.

----

Mais outra observação, quantos desses 200 mil votam sempre que o deviam fazer? Eu manifesto o meu descontentamento nas urnas, outros preferem tirar um dia de férias (se possível com o patrão a pagar), dar um passeio até Lisboa, e ir fazer barulho para a rua...


De Pedro Sales a 19 de Outubro de 2007 às 20:27
Anónimo,

O seu argumento dá para tudo, até para perguntar se os que votaram no PS "sabiam o que [lá] estavam a fazer".


De mais um demente"anònimo" a 19 de Outubro de 2007 às 20:00
Concordo com o atrasado mental anònimo,nao eram 200.OOO eram para aì 10,desses 10, um era um sem abrigo bebedo que dormia por ali,outro tinha uma faca apontàda às costas,5 eram jornalistas ,2 eram policias de serviço e o outro era o Jerònimo.


De Anónimo a 19 de Outubro de 2007 às 19:50
Desses 200 000 mil, quantos sabiam o que estavam lá a fazer?
É que não é só nos festejos das vitórias do PS que há gente que nem sabe ao que vai...

E já agora, um aspecto relativo a uma manifestação anterior, mas que se calhar também é válido para esta: http://www.oinsurgente.org/2007/07/07/uma-manifestacao-sindical-paga-pelas-entidades-patronais/


De drCursor a 19 de Outubro de 2007 às 19:20
http://tempodascerejas.blogspot.com/2007/10/matria-para-reflexo.html

http://blog.ebserver.org/sociedade/200000-na-rua-contra-a-flexiseguranca


Comentar post

Zero TV
ZERO DE CONDUTA
Filipe Calvão

José Neves

Pedro Sales

Vasco Carvalho


zeroconduta [a] gmail.com
Indecisão 2008
Subscreva
Zero links
arquivos

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Feeds