De Virgilio a 12 de Dezembro de 2007 às 09:02
A estrutura de exploração de terra será a mais adequada ao desenvolvimento desses países e dos respectivos mercados.
Se são latifúndios ou minifúndios logo se verá. Quem tem fome não está preocupado com dialécticas sem sentido.
Já agora... onde é que os minifúndios são rentáveis?
Nós europeus somos mesmo maus; fechamos as nossas portas e não permitimos que um continente tenha estruturas produtivas e distributivas!
Não acha que um continente com 750 milhões de habitantes tem a dimensão para criar um mercado interno?
Crê que empresas inexistentes, incapazes de sobreviverem num mercado pouco sofisticado, seriam capazes de sobreviver num mercado sofisticado como o Europeu? Eu acredito na competição e não defendo a manutenção de barreiras ou a PAC, que é uma forma de tornar a vida mais cara aos europeus. No entanto, não creio que os grandes prejudicados por estas políticas sejam os africanos. Se assim fosse, têm agora uma oportunidade de provar que estou errado: a procura de produtos agricolas e de matérias primas está a fazer subir os preços. Os biocombustíveis fizeram disparar o preço da terra arável nos EUA, no Brasil e no mundo ocidental de forma generalizada. Se África tem potencial de produção agricola (que tem) e se o problema se deve apenas a barreiras, então agora está resolvido...


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres