Comentários:
De Anónimo a 21 de Julho de 2007 às 16:31
Quem mata e esfola no Iraque são os Norte-americanos, Ingleses, Australianos e mais umas bestas amigas! Mas quem abriu mesmo as portas e é culpado são mesmo os Norte-Americanos e Ingleses.


De Pedro Sales a 20 de Julho de 2007 às 23:37
Ricardo Alves,

Tem razão. A proporção, no entanto, mantém-se inusitadamente elevada.

Euroliberal,

Vamos lá a ver se nos entendemos: são os sauditas e não os sírios ou líbios que metem as bombas no Iraque. O que é que não percebeu?


De Ricardo Alves a 20 de Julho de 2007 às 16:21
O comentário do Pedro Sales é interessante, mas dos 19 do 11 de Setembro só 15 é que eram sauditas; havia dois dos EAU, um egípcio (o Atta), um libanês (o Ziad Jarrah, conhecido pela vida de boémia que levou), e o vigésimo-que-não-chegou-a-ser era francês de origem marroquina (o Zacarias Moussaui).


De Euroliberal a 20 de Julho de 2007 às 15:39
Você não sabe ler inglês ? O que os jornal diz é que DOS INSURGENTES ESTRANGEIROS, 47% são sauditas: "About 45% of all foreign militants targeting U.S. troops and Iraqi civilians and security forces are from Saudi Arabia".

Só que os estrangeiros são uma pequeníssima parte (2 ou 3%) do total dos patriotas da resistência e também, em consequëncia, dos presos nas masmorras do ocupante cruzado. E é claro que os árabes não iraquianos TÊM TODO O DIREITO de auxiliarem os seus irmãos iraquianos da mesma Nação árabe na sua luta contra os terroristas cruzados. A sua presença no Iraque árabe e islâmico é legal. O que não é legal é a presença dos TERRORISTAS CRUZADOS !

Aprenda inglês e direito internacional, homem !


De Gonçalo Avelar a 20 de Julho de 2007 às 03:44
Não se esqueçam que esse amigo é dono de 8% dos EUA...


De José Luiz Sarmento a 19 de Julho de 2007 às 22:52
Extraordinário, não é?


Comentar post