Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Zero de Conduta

Zero de Conduta

22
Jun07

Simplex, simplex, despedidex

Pedro Sales
Alice Marques viu o primeiro-ministro na televisão a anunciar o simplex. Acreditou nele. Afinal, sempre eram 333 medidas que iam pôr o país à andar e pôr um ponto final na burocracia no Estado. O que ninguém explicou à Alice Marques é que, juntamente com a papelada, também se punha um ponto final na confidencialidade dos dados. Descobriu-o agora, pela pior via. Foi despedida e prejudicada na indemnização que deveria receber.

Acreditando nas promessas do nosso primeiro, resolveu solicitar, no portal do Governo, informação sobre a situação fiscal da empresa onde trabalhava, a Mendes Godinho, que estava a fechar as portas e a negociar as rescisões com os seus empregados.

Fazer uma queixa no portal do Governo, cuja privacidade deveria ser garantida pelo Estado, foi a única medida simplex. A partir daqui, a denúncia foi andando de direcção geral em direcção geral até chegar à Parpública. Como a Parpública participa do capital da Mendes Godinho, a sua chefe ficou a conhecer toda a história. Foi encostada à parede e obrigada a aceitar o montante que a empresa fixou. Perdeu 3500 euros. Agora, a Alice Marques, que vai pôr o Estado em tribunal, já conhece como funciona o simplex. Uma propaganda bonita para esconder a confusão do costume.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

ZERO DE CONDUTA

Filipe Calvão

José Neves

Pedro Sales

Vasco Carvalho


zeroconduta [a] gmail.com

Arquivo

  1. 2008
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2007
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D