Comentários:
De Anónimo a 30 de Dezembro de 2007 às 17:22
Oh Diogo, pá! Que trampa de nome é esse? Nós os descendentes em linha recta dos primeiros habitantes da Península Ibérica chamamo-nos Gu Gu Dah Dah, Ong Pah e outros nomes do género. Que raio de nome amaricado é o teu? Vai mas é para onde os teus antepassados saíram (se calhar também descendes dos australopitecos). Era bem feito...
Vocês, os puristas das raças metem já um bocado de nojo.


De L. Antão a 30 de Dezembro de 2007 às 00:28
Bem Diogo, tenho que lhe dar razão: enquanto tivermos que assim discrimina é uma opção a ter em conta . Esconder as origens para não ser vítima de xenofobia é um grande exemplo de cidadania e liberdade e integração. O problema está no nome ou na cabeça de quem não permite a integração por causa de um nome? Se uma criança de origem asiática se chamar José integra-se mais facilmente na sociedade portuguesa e já agora o que devem os pais fazer com os apelidos?


De Diogo a 29 de Dezembro de 2007 às 19:34
Pois é vergonhoso é como é permitido ser dada a nacionalidade a estrangeiros desta forma. A imposição de nome portugueses é fundamental, até mesmo para permitir uma maior assimilação com a população portuguesa. Termos "portugueses" chamados Mamadu, Rachid, Regiane ou Ramona é um obstaculo à integração desses indívidos.


De Minerva McGonagall a 28 de Dezembro de 2007 às 22:40
Fico triste por ver tantas situações semelhantes a esta. Ainda ontem, iam-me matando por dizer que quantos mais brasileiros em Portugal, melhor. Eu digo que são simpáticos, ao contrário da esmagadora maioria dos portugueses, que não passam de trombudos, e sou logo atacada com o argumento de que são falsos. Mas o que eles são mesmo é mais bem educados do que os tugas. Todos nós temos as nossas tristezas, mas os outros não têm culpa disso. Nunca fui maltratada por um brasileiro. O mesmo não posso dizer dos portugueses...

Cheguei aqui através do arrastão, e gostei do blogue. Vou voltar.


De caramelo a 28 de Dezembro de 2007 às 10:10
Boa, João! E humilhar os putos deve ser o máximo da insult comedy. Aqueles pais devem ter ficado maravilhados com isso: épá, finalmente temos uma ganda comediante da insult comedy a ofender à séria e com classe!


De Pedro Sales a 27 de Dezembro de 2007 às 00:03
João,

Acredita mesmo nisso? É uma hipótese, e o abjeccionismo tem uma longa história, mas não foi feita por pessoas como a Cristina Areia, nem a sua plateia são crianças dos 6 aos 14 anos.


De João a 26 de Dezembro de 2007 às 21:37
Correcção. A senhora penso que é uma actriz de comédia e da revista. Não da melhor portanto, mas ainda assim uma comediante. Se calhar nenhum pai se ofendeu porque percebeu que a situação era apenas comédia. Conhece os 'Insult Comics' nos EUA? Veja um clip da Lisa Lampanelli para ver o que é ofender à séria e com classe:

http://www.youtube.com/watch?v=k7Sp24TlWAM&feature=related


De sucedâneo a 26 de Dezembro de 2007 às 18:23
E perguntamos nós: "actriz de novelas juvenis? Ainda por cima inculta e mal educada? O que se passou na cabeça destes pais?!"

"O areias é um camelo..."


De lord of the link a 26 de Dezembro de 2007 às 16:54
o link do público está quebrado. Não se arranja um clip disso?


Comentar post