Comentários:
De A. Castanho a 22 de Novembro de 2007 às 15:32
É verdade. A falta de pagamentos ao Estado, das taxas moderadoras, dos impostos, das multas ou das contribuições para a segurança social, deveria ser investigada e punida com muito maior rapidez e não estar à espera que uma pessoa adoeça...


Afinal, roubar o Estado é, ou não é, roubar o Povo?


De Karl Macx a 21 de Novembro de 2007 às 14:57
Um dia, numa lápide qualquer há-de estar escrito:

"Aqui Jaz Fulano de Tal

Morreu com uma unha encravada porque tinha taxas moderadoras em dívida;"

seguido de:

"Por decisão de um Colectivo de Juizes e de uma Junta Médica, fica avisado o Sr. Fulano de Tal de que lhe foi retirada a condição de Defunto, pelo que terá de se apresentar no prazo de 5 dias úteis no Hospital mais próximo para pagamento da dívida, sob pena de coima agravada e penhora de urna funerária..."


De A.Silva a 21 de Novembro de 2007 às 12:53
Da experiencia que tenho de hospitais públicos nunca tal advertencia me foi feita,por vezes até depois de ser atendida é que a minha familia ia fazer o registo da doente.Os dirigentes desse hospital não seram como a Sra. da Dren,mais papista que o papa?


De Metralhinha a 21 de Novembro de 2007 às 11:41
Qual o espanto?
Será que ainda não compreenderam que já não há cidadãos mas somente utentes e contribuintes?


De Anónimo a 21 de Novembro de 2007 às 10:31
Ó Pedro (e Dr. Maybe), é que nem por acaso já fui a um centro de saúde onde a senhora da entrada (passo a misoginia) se recusou a atender-me sem cartão de utente, que era ali que fazia, mas que eram precisos não sei quantos papéis nomeadamente um comprovativo de pagamentos à segurança social...

– Ai é estudante? Tem de trazer um comprovativo.

– Não sou.

– Ai é desempregado? Tem de trazer um comprovativo.

– ...

– Então se calhar pode ir ali abaixo à CUF.

Devo pedir um comprovativo à PSP em como sou dealer, por exemplo?


De João Machado a 21 de Novembro de 2007 às 03:32
Desculpe Dr Maybe, mas tem é de mandar o ministro Vieira da Silva escrever a frase e não os funcionários, que são paus mandados


De Filipe Tourais a 20 de Novembro de 2007 às 22:42
Lembrou-me uma que me contou uma amiga americana. Na Florida, quem fique em dívida com o hospital, esteja a morrer ou não, não é atendido. O sistema que os americanos não querem é o modelo desejado entre nós, não é? O exemplo está em linha com esses desejos.


De dr maybe a 20 de Novembro de 2007 às 16:56
perdoa-lhes filho que eles não sabem o que fazem.
a mim uma vez na segurança social, depois de ter dito que ia tratar do cartão europeu de saúde, perguntaram-me "e tem as suas contribuições todas em dia?". deviam investir aqueles fundos da CEE para formação e fazerem uma sessão de um dia com todos os funcionários a escreverem cem vezes num quadro - "a saúde é um direito constitucional e não condicional. a saúde é um direito constitucional e não condicional. a saúde é um direito constitucional e não condicional. a saúde é um direito constitucional e não condicional. a saúde é um direito constitucional e não condicional (...)"


Comentar post