Comentários:
De O-Lidador a 13 de Dezembro de 2007 às 15:16
"o como se diz importa tanto quanto aquilo que se quer dizer."

Claro que é.
Daí a novilíngua.

Na verdade até importa mais.

Quando um dirigente do PC ou do BE fala "desta democracia", referem-se à odiosa "democracia burguesa", ou liberal.
É por isso que eles falam da "verdadeira democracia", a deles, claro.
O Sr Bernardino terá na cabeça as maravilhas de Pyong Yang e o Dr Louçã, provavelmente o sonho albanês do HOxa.

E com a boca cheia da "verdadeira democracia", lá se vão endrominando uns quantos milhares.

Quanto ao "que fazer", ora aí está um bom debate.
Qual é o "projecto " da esquerda?
Para além da retórica do "contra", das "causas fracturantes" , que modelo de sociedade a esquerda propõe?

Reviver o passado do socialismo real?

Uma montanha de açúcar que ainda está por inventar?

Sim, claro, palavras bonitas como "justiça social", "igualdade", "felicidade", etc,etc. mas concretamente como?

Nacionalizando a minha casa?
Expropriando a minha terra?
Extirpando o meu irredutível individualismo?
Proibindo-me de gastar o meu dinheiro como muito bem me apetecer?
Dissuadindo-me de ir comer um hamburguer se estiver para aí virado?

Ora explique lá..


De Zé Neves a 11 de Dezembro de 2007 às 15:40
se calhar tens razão. mas gostava mesmo - para exercícios auto-críticos futuros - que dissesses que carapuço em concreto é que devo enfiar. abç


De Renato Carmo a 11 de Dezembro de 2007 às 14:58
Bem Zé, que lapso tão 'freudiano' :)


De Zé Neves a 11 de Dezembro de 2007 às 13:06
eu queria dizer ao renato que os carapu�os n�o me serviam e n�o que os carapu�os me serviam. oops...


De Zé Neves a 11 de Dezembro de 2007 às 11:20
renato, olha que eu estive a experimentar os carapuços todos antes de os colocar na montra e pareceu-me que todos eles me serviam, quiçá uns mais apertados e outros menos apertados, mas todos me serviam.
e olha que eu nada falei sobre a questão da "pessoalização". Ela veio à baila nos debates anteriores porque eu referi a condição profissional de alguém no contexto de um debate político. Mas repara que essa condição profissional - assessoria ministerial - é uma condição política.

abç, zn


De Miguel Madeira a 11 de Dezembro de 2007 às 11:04
Seja como for, parece menos exaltado que o debate à direita, em que até já começaram a reveler os IPs uns dos outros.


De Joshua a 11 de Dezembro de 2007 às 09:20
Isso do debate de esquerda é uma treta daquelas!

Vai sonhando, Zezinho!


De Renato Carmo a 11 de Dezembro de 2007 às 08:33
Ok, parece-me um bom 'ponto de ordem' para o debate. Espero que todos reconheçam o seu carapuço e que também arranjes uns quantos para ti.
Agora que siga o debate de ideias sem 'pessoalizações', que é isso que interessa.

Um abraço, Renato.


Comentar post