Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Zero de Conduta

Zero de Conduta

24
Jun08

As inabaláveis convicções do sr. ministro

Pedro Sales

Em mais uma lamentável intervenção, o ministro da Agricultura acusou as confederações de agricultores de terem ligações politicas à “extrema-esquerda e à direita mais conservadora, que pensam que os problemas se resolvem com mais subsídios”. Estas declarações tiveram lugar à entrada para o Conselho de Ministros da Agricultura. Terminada a reunião, o ministro voltou a falar aos jornalistas para anunciar uma linha de apoio de 40 milhões de euros aos pescadores.
 

23
Jun08

O PSD está contra, só ainda não sabe porquê

Pedro Sales

O secretário-geral do PSD, Marques Guedes, diz que a contestação das novas infra-estruturas é "uma das prioridades de acção do partido". Questionado sobre quando é que a direcção do PSD concretizará quais as obras que devem ser travadas, Marques Guedes pediu compreensão, lembrando que o partido acaba de sair de um Congresso. O PSD desafia a lógica da compreensão. A líder do partido encerra o congresso dizendo que as novas infra-estruturas são “um colossal erro politico” deste Governo, mas ainda não sabe porquê e que  obras é que são um erro. Está a estudar o assunto…

 

Para quem julgava que a má moeda do PSD se esgotava no eixo Menezes/Santana Lopes,  ponha os olhos em Ferreira Leite e na equipa que a rodeia. Isto ainda agora começou e já promete.

23
Jun08

Os ricos que paguem a saúde (mais ou menos)

Pedro Sales

Só há um pais da OCDE em que o Estado não garante os cuidados universais de saúde. Nos EUA, onde o Medicare garante a saúde dos pobres, todos os outros têm que pagar pelo seu bolso os famigerados seguros. Resultado. No país que mais gasta com a saúde em todo o mundo, 46 milhões de pessoas não têm acesso a nenhum cuidado de saúde, público ou privado.

 

É a partir deste excelente exemplo de ineficiência e iniquidade que Ferreira Leite que conter as despesas do Estado. Não apresenta um número sobre o SNS que exija a alteração da sua filosofia, o que se compreende quando estamos a falar do serviço público mais eficaz e que, ao contrário de quase tudo no país, se encontra entre os melhores do mundo. Os ricos que paguem a saúde, parece ser o mote deste novo PSD. Como os ricos já não põem os pés no serviço público, fica-se sem perceber onde é que este serviço universal empobrecido vai melhorar o que quer que seja. A não ser, claro, que Ferreira Leite pretenda mexer no bolso na classe média e média-baixa. A mesma que já se encontra sobreendividada, recebendo salários de mil e poucos euros para pagar 500 ao banco pela prestação da casa.

 

Ferreira Leite começou a sua campanha mostrando-se preocupada com a pobreza e o empobrecimento da classe média. A sua primeira proposta é coerente. Nivelar por baixo, destruindo o melhor e mais eficiente serviço público para promover a iniciativa privada. O “novo” PSD pode ter menos aparato cénico e ser menos histriónico, mas é apenas uma nova embalagem para a demagogia de sempre.

22
Jun08

Iliteracia funcional

Pedro Sales

Manuela Ferreira Leite defende que o SNS "deve ser universal e de acesso gratuito a todos os que não têm meios para comparticipar o custo dos serviços prestados". Afinal, parece que o facilitismo das provas de português não vem de hoje. Ferreira Leite, que até foi ministra da educação, revela uma relação com a língua de Camões que devia envergonhar os deputados do PSD na comissão de Educação. Na hipótese benevolente de terem percebido o disparate, claro.

21
Jun08

Um importúnio chamado realidade

Pedro Sales

O espaço de opinião nos jornais rege-se por regras bem distintas das reservadas para a informação. Mas, mesmo sendo uma interpretação subjectiva da realidade, convém não ter com esta uma relação tão distante como a hipótese do petróleo chegar aos 40 dólares na próxima semana. A crónica de hoje de Pulido Valente vai por este caminho, tendo o prolífico colunista descoberto que o “o Bloco e, em parte, o PC resolveu aproveitar o Europeu para uma campanha contra o futebol”. “O Bloco até descobriu uma conjura imensa entre a “comunicação social” e as forças do capitalismo para anestesiar os portugueses com as proezas de Ronaldo? Prova do crime? O tempo que a televisão perdeu com o campeonato.“

 

Um único problema. Não dei por nenhum dirigente do Bloco, ou do PCP, ter dito qualquer coisa de que se assemelhe vagamente à tese levantada por Pulido Valente, quanto mais uma campanha organizada. Aliás, talvez valha a pena reparar que VPV não só não apresenta uma única citação como não nomeia quem andou a difundir tal “campanha”. É compreensível. Para quê deixar que a realidade atrapalhe uma boa crónica? Curiosamente, que eu tenha reparado, o único político que se insistiu na tese da anestesia do Euro, “alimentado a milhões de euros pelo Governo na televisão "pública" que devia ser "diferente, foi Pacheco Pereira. Pulido Valente anda desatento. Faz umas boas décadas que Pacheco Pereira deixou o “marxismo vulgar”. 


PS: Uma dúvida. Para além dos conceitos marxistas, como a alienação, a única vez que VPV usa as aspas neste delirante artigo é quando se refere à comunicação social. Como não está a citar ninguém, será que isso quer dizer que Pulido Valente encara a comunicação social como uma entidade metafórica?

 

PS1: Vale a pena ler o que diz Vítor Dias sobre este assunto.
 

20
Jun08

Prometemos acabar com os privilégios, as injustiças são noutra repartição

Pedro Sales

José Sócrates defendeu o aumento da idade da reforma e do número de anos de descontos com a necessidade de equiparar os regimes e acabar com os privilégios dos funcionários públicos. Ontem, o Partido Socialista chumbou um projecto do BE para atribuir a pensão de reforma por inteiro a todos aqueles que, tendo 40 anos de descontos, ainda não atingiram os 65 anos de idade. Uma proposta que pretendia defender todos aqueles que, tendo começado a trabalhar com 12 ou 13 anos, vêm as suas pensões penalizadas depois de uma vida de trabalho. Quando a proposta foi apresentada, Fernando Madrinha escreveu um artigo de opinião no Expresso dizendo que o "o país não tem moral para recusar a reforma a quem trabalha e desconta há mais de 40 anos". Estava certo. Não contava era com o PS.

20
Jun08

Adeus

Pedro Sales

Portugal começa um jogo com a Alemanha sempre em desvantagem. As equipas nacionais têm que jogar bem e não cometer erros. À Alemanha basta ser eficaz, algo que faz com a naturalidade de quem bebe um copo de água. Parece pouco, e é costume desvalorizarmos a forma “tosca” do seu jogo, mas há ali um entendimento quase obsessivo dos fundamentos do jogo que merece respeito. Portugal jogou razoavelmente, à excepção de um Deco superlativo, mas cometeu erros defensivos e tácticos inaceitáveis numa equipa de juniores. Scolari foi fiel à sua imagem de marca: ser sempre o último a reconhecer um erro. Ronaldo na posição de Nuno Gomes desaparece de jogo. Não tinha funcionado com a Turquia, não era certamente com as torres alemãs que iria resultar. Há uma semana que meio país parece atordoado com a  substituição do treinador mais sobrevalorizado de que me lembro. Eu, por mim, preocupava-me mais com a substituição de Deco. Foi dos seus pés que saiu a diferença entre o futebol triste e desgarrado da fase de qualificação e a equipa que esteve no europeu. A sanidade mental pode regressar aos noticiários. O país segue dentro de momentos.

19
Jun08

Vai uma aposta?

Pedro Sales

Um relatório do Senado dos EUA considerou que as torturas deixaram sequelas físicas e psicológicas nos ex-prisioneiros de Guantanamo. Antonio Taguba, o general que liderou a investigação a Abu Ghraib, considera que é hoje evidente que a "administração Bush cometeu crimes de guerra". "A única dúvida que permanece é a de saber se serão julgados aqueles que autorizaram as práticas de tortura".

19
Jun08

Civilizada rima com controlada

Pedro Sales

A França está a um passo de ter uma lei que permite cortar o acesso à net a quem for apanhado a partilhar ficheiros. Esta lei, que Sarkozy entende como um "decisivo momento para o futuro de uma Internet civilizada", permite que os operadores de comunicações passem a monitorar todo o tráfego que circula na rede, instalando um sistema que vigia a autenticidade dos conteúdos transferidos.


Depois da tentativa da União Europeia para “civilizar” os blogues, a França dá o primeiro passo para um controlo sem precedentes da informação pessoal que circula na net. As intenções, como sempre, são as melhores. Como na Suécia, cujo Parlamento chumbou ontem uma lei que permitia aos serviços de segurança controlar quase todas as chamadas telefónicas, emails e SMS sem autorização judicial.Perante o massivo protesto da oposição e da Federação dos Jornalistas, a coligação de 4 partidos de direita aceitou alterar a lei na especialidade. Uma questão de tempo?

19
Jun08

Vigiar todos para não prevenir nada

Pedro Sales

Ainda a propósito da crescente quantidade de informação pessoal recolhida pelos Estados modernos, sempre em nome da nossa segurança, vale a pena ler este artigo de opinião no Guardian. Demasiada informação arruína qualquer investigação, apenas servindo para tratar todos os cidadãos como possíveis criminosos.  “The problem of sifting through vast amounts of data was highlighted by the US 9/11 Commission, which concluded that the American intelligence community knew in advance that the attacks on the World Trade Center and Pentagon were in the offing, they just didn't know they knew it. The pieces were all there for anyone who knew to look for them, needles buried in a haystack of irrelevancies.”

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

ZERO DE CONDUTA

Filipe Calvão

José Neves

Pedro Sales

Vasco Carvalho


zeroconduta [a] gmail.com

Arquivo

  1. 2008
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2007
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D