Sexta-feira, 5 de Setembro de 2008
The disposable heroes of hypocrisy

Para não variar, é de Jon Stewart que vem a melhor resposta ao “caso” Sarah Palin e à histeria mediática causada pelos seus defensores, alguns dos quais descobriram, pela primeira vez na vida, termos como machismo ou sexismo. Absolutamente imperdível.



publicado por Pedro Sales às 14:35
link do post | comentar | ver comentários (2) |

Quinta-feira, 28 de Agosto de 2008
Não disse, mas podia ter dito



publicado por Pedro Sales às 02:21
link do post | comentar |

Sexta-feira, 15 de Agosto de 2008
Para isso estamos cá nós

John McCain: "In the 21st century, nations don’t invade other nations."


Etiquetas: ,

publicado por Pedro Sales às 13:59
link do post | comentar | ver comentários (1) |

Domingo, 10 de Agosto de 2008
Humor, ficção e "jornalismo sério"

Num país, como os EUA, onde mais de 66% dos habitantes têm excesso de peso, os candidatos presidenciais começam a desdobrar-se em acções para captar o voto dos cidadãos obesos. Quem o diz é uma “reportagem” (que se pode ver no vídeo aqui colocado) publicada há uns meses por um dos mais conhecidos sites satíricos do mundo, The Onion.


Parecendo acreditar no lema do site humorístico, que se proclama como a melhor fonte de notícias sobre a América, o vetusto Wall Street Journal publicou há uns dias uma “notícia” semelhante sobre Barack Obama. O título não podia ser mais sugestivo: “Too fit to be president?’”. A singular constatação do jornal é que, “Perante um eleitorado com excesso de peso, a reduzida gordura corporal de Barack Obama pode vir a revelar-se uma desvantagem” para o candidato. Se a noticia já tinha todos os ingredientes para ser um disparate, as coisas pioram quando se percebe que algumas das citações usadas pela jornalista foram retiradas de um fórum de discussão do Yahoo... numa discussão iniciada pela própria repórter. O Wall Street Journal já corrigiu o artigo, indicando esse facto, mas fica cada vez mais notório como é ténue a distinção entre humor e jornalismo. Ou, se olharmos para o excelente Daily Show, até ficamos com a impressão que é em programas como os de Jon Stewart ou Stephen Colbert que encontramos as verdadeiras notícias. E mais rigorosas.

 

 

Nota: A notícia do WSJ, e o link para o fórum de discussão, foram descobertos através do Daringfireball.


Etiquetas: ,

publicado por Pedro Sales às 14:16
link do post | comentar |

Quinta-feira, 24 de Julho de 2008
obamavolk, live streaming from Berlin

 

Discurso de Obama começa às 19.00(?).

Se o site aguentar, aqui fica. À experiência.

 

(live streaming substituído por video as 2.00, partes I e III em truthout)


Etiquetas: ,

publicado por Vasco Carvalho às 17:16
link do post | comentar | ver comentários (4) |

Terça-feira, 22 de Julho de 2008
de novo, dennis

 

"The case for war was based on fraud," he said. "That's the core charge in this impeachment resolution. And it just takes one article to be able to force the administration and the president to the consequences of their deceit."

Kucinich e o caso a favor do impeachment


Etiquetas: , , ,

publicado por Vasco Carvalho às 03:03
link do post | comentar |

Sexta-feira, 18 de Julho de 2008
Time for Some Campaignin'

Etiquetas:

publicado por Pedro Sales às 17:22
link do post | comentar |

Terça-feira, 17 de Junho de 2008
Eles votam McCain (e sabem porquê)

Etiquetas:

publicado por Pedro Sales às 18:51
link do post | comentar |

Segunda-feira, 16 de Junho de 2008
McCain critica McCain...

...ou como se apanha um candidato "esquecido" em 92 segundos.


Etiquetas:

publicado por Pedro Sales às 08:14
link do post | comentar | ver comentários (1) |

Segunda-feira, 12 de Maio de 2008
Obama: passado e presente

7 páginas do NYtimes: do esquerdista do campus ao compromisso centrista.


Etiquetas: ,

publicado por Vasco Carvalho às 06:00
link do post | comentar |

Quarta-feira, 7 de Maio de 2008
Done?
Barack Hussein Obama,
the nominee.

Etiquetas: ,

publicado por Vasco Carvalho às 05:35
link do post | comentar | ver comentários (2) |

Terça-feira, 6 de Maio de 2008
recapitulando


"The Low Road to Victory"
Editorial do NYTimes, publicado na noite em que foram anunciados os resultados na Pensilvânia.

Este vídeo não está mal esgalhado: Empire Strikes Barack.

publicado por Filipe Calvão às 10:58
link do post | comentar |

Terça-feira, 22 de Abril de 2008
A revolução pixelizada em toca-ecrã

Perceptive Pixel é a empresa que produz estes ecrãs. Para os aficionados das primárias, numa cnn perto de si, a noite eleitoral torna-se menos aborrecida.
Este fim-de-semana estive em Erie, Pensilvânia, e pude experimentar as novas urnas eleitoriais electrónicas, em mostra na biblioteca local. Optei pelo boletim republicano e votei em mim. A revolução será multi-toque, sem rasto de papel.


Etiquetas: ,

publicado por Filipe Calvão às 18:36
link do post | comentar | ver comentários (1) |

Segunda-feira, 7 de Abril de 2008
Hillary 2008: the Black Knight Always Wins?

Clinton´s chief strategist resigns.

publicado por Vasco Carvalho às 10:00
link do post | comentar | ver comentários (1) |

Quinta-feira, 3 de Abril de 2008
picar o ponto
Ainda as primárias: Barack Obama é entrevistado no Hardball de 2 Abril (41 m) e a United Church of Christ (coligação de que faz parte a Trinity Church) publica este anúncio no NYTimes de 4a feira.

Ainda o dia das mentiras: António Borges acusa o governo de perseguição nas empresas públicas mas parece esquecer os 2.2 mil milhões de euros que a EDP pagou à Goldman Sachs em Julho de 2007. E António Borges não foi nem vice-presidente nem director da Goldman Sachs: foi um parceiro de piscina.

Ainda a crise do subprime: a NPR  fala em casino em auto-gestão e avança com uns números:

The value of the entire U.S. Treasuries market: $4.5 trillion.

The value of the entire mortgage market: $7 trillion.

The size of the U.S. stock market: $22 trillion.

OK, you ready?

The size of the credit default swap market last year: $45 trillion.

(Texto e ficheiro áudio do programa da NPR aqui, com link para a melhor história do dia das mentiras)

E logo à noite não se esqueçam de ver a Oprah.

publicado por Filipe Calvão às 11:00
link do post | comentar | ver comentários (1) |

Sexta-feira, 7 de Março de 2008
Vergonha dos amigos?

George Bush recebeu, há dois dias, McCain na Casa Branca para prestar o seu apoio ao candidato republicano nas presidenciais norte-americanas. Curiosamente, tanto o site de McCain como o do próprio partido republicano não fazem nenhuma referência ao assunto. Quem quiser ver o relato do acontecimento tem que ir ao site do partido democrata (!), que colocou um vídeo da conferência de imprensa, como "serviço público", para que os americanos possam ver Bush garantir que o candidato republicano vai seguir a sua desastrosa política económica e no Iraque. Com amigos destes!
Etiquetas:

publicado por Pedro Sales às 17:12
link do post | comentar | ver comentários (1) |

Quarta-feira, 5 de Março de 2008
all the way baby?

Slate's Delegate Counter

Clinton teria de ganhar todos os 12 Estados restantes por margens maiores que 60-40 para reequilibrar os totais de delegados. Mas ficou bastante mais perto de equilibrar o total de votos, e isso interessa para estancar a hemorragia de superdelegados, variável crucial na decisão final. E é o suficiente para a narrativa mediática das próximas semanas: de underdog a comeback kid, via Saturday Night Live, Hillary e a mudança de atitude na imprensa quebram o momentum de Obama. A América adora uma luta renhida e as audiências disparam.

we're going all the way baby.


publicado por Vasco Carvalho às 07:08
link do post | comentar | ver comentários (4) |

Sábado, 1 de Março de 2008
São 3 da manhã (e há perguntas que mais vale não fazer)
São 3 da manhã e os seus filhos estão a dormir em segurança. O telefone vermelho toca na Casa Branca. Quem é que você quer que atenda o telefone?

É este o tema do mais recente, e polémico, anúncio televisivo de Hilary Clinton. Polémico, porque são demasiado evidentes as semelhanças com a estratégia de Bush de agitar o medo e a insegurança com o terrorismo para obter dividendos políticos. Pior, as semelhanças com um antigo anúncio de apoio a McCain são tão notórias que é difícil não acreditar que o trabalho foi plagiado. Obama foi rápido a responder, colocando no ar um anúncio a responder à letra, mas a melhor desmontagem da mensagem de Hillary veio de onde menos se esperava: de um pequeno estúdio de criativos de Chicago. Genial e hilariante.

* Para quem não conhece a história do personagem do vídeo, Muffley é um político com um longo currículo.
Etiquetas:

publicado por Pedro Sales às 18:35
link do post | comentar | ver comentários (1) |

Segunda-feira, 25 de Fevereiro de 2008
O melhor dos óscares é sempre a apresentação
"Normally when you see a black man or a woman president, an asteroid is about to hit the Statue of Liberty,” Jon Stewart na apresentação dos óscares 2008.
Etiquetas: ,

publicado por Pedro Sales às 18:01
link do post | comentar |

Terça-feira, 12 de Fevereiro de 2008
Bomb Bomb McCain
Depois do sucesso da versão musical do discurso de Obama, que vai a caminho de se tornar num dos clips mais vistos no Youtube em 2008, não podia demorar muito até que começassem a surgir as versões satíricas. Esta, sobre a obsessão de McCain na persistência no atoleiro em que se transformou o Iraque, é absolutamente hilariante e devastadora.
Etiquetas:

publicado por Pedro Sales às 03:05
link do post | comentar | ver comentários (4) |

Quinta-feira, 7 de Fevereiro de 2008
O voto que faltava a McCain
O candidato republicano ultraconservador Mitt Romney anunciou hoje que iria desistir da candidatura presidencial. Boas notícias para McCain que, com Romney ou Huckabee na vice-presidência, pode ir à procura do eleitorado mais importante para qualquer candidato republicano.
Etiquetas:

publicado por Pedro Sales às 19:55
link do post | comentar | ver comentários (6) |

Quinta-feira, 31 de Janeiro de 2008
Media madness




Jon Stewart e o seu tema preferido: a “independência” das narrativas jornalísticas na política norte-americana. Um exercício que pode facilmente ser transposto para qualquer acto eleitoral, em qualquer parte do mundo. Por cá, basta recordar a influência que teve nas últimas presidenciais uma certa fotografia de Mário Soares na capa de um semanário.
Etiquetas: ,

publicado por Pedro Sales às 09:52
link do post | comentar | ver comentários (1) |

Quinta-feira, 24 de Janeiro de 2008
Pergunta quem paga

Das 2275 perguntas efectuadas aos candidatos presidenciais americanos nos cinco principais programas televisivos, apenas 24 estão relacionadas com as alterações climáticas.O aquecimento global apenas é referido por 3 vezes - tantas como as questões colocadas aos candidatos sobre ovnis e a vida noutros planetas! O balanço podia apenas ser revelador da forma como a imprensa se concentra cada vez mais em questões secundárias, o que é verdade, mas é bem mais revelador do que isso. Nos debates promovidos pela CNN/Youtube a omissão é total: as questões ambientais não existem. Uma lacuna que se compreende melhor quando se percebe que o principal patrocinador dos debates é o lobby das empresas de extracção de carvão. Tudo gente simpática que, no seu site, se orgulha de pretender gastar 35 milhões de dólares na campanha presidencial para melhorar a imagem pública das centrais eléctricas a carvão e apoiar os candidatos que se opõem a medidas legislativas para diminuir a emissão de CO2.
Etiquetas: ,

publicado por Pedro Sales às 20:44
link do post | comentar | ver comentários (35) |

Sexta-feira, 18 de Janeiro de 2008
À atenção do João César das Neves e da Patrícia Lança
Um dos principais candidatos presidenciais do partido republicano, Mike Huckabe, comparou a homossexualidade à bestialidade e o aborto à escravatura, defendendo a revisão da constituição dos EUA para que esta respeite e defenda os "mandamentos de Deus". Esqueceu-se, talvez porque ainda não tenha tido tempo para ler o João César das Neves ou a Patrícia Lança, de equiparar a homossexualidade à pedofilia. Fica para a próxima.

publicado por Pedro Sales às 17:48
link do post | comentar | ver comentários (2) |

Sexta-feira, 4 de Janeiro de 2008
O espectáculo do ano já começou

Esperança e mudança. Fartos e cansados da política do medo seguida pelo sistema político de Washington durante a administração Bush, as palavras mais usadas por Obama no seu impressionante discurso de vitória no Iowa arriscam-se a ser o eixo da campanha presidencial norte americana. Não por acaso, Hillary e Giuliani, os dois candidatos mais conotados com o "sistema", foram os grandes derrotados de ontem. O problema de Hillary não foi tanto ter perdido para Obama, mas ter ficado atrás de John Edwards. Permite a este criar o momento que o legitima como um potencial candidato ganhador e que lhe permite continuar a recolher dinheiro para o manter na corrida. Ontem teve um excelente discurso, bem longe do fulgor retórico e oratório de Obama, mas provando que é o candidato mais à esquerda no campo democrata.
O João Rodrigues e o Nuno Teles já tinham chamado a atenção para as suas propostas - principalmente o plano de saúde e a retirada do Iraque - e para o apoio que tem recolhido entre os economistas de esquerda. Ontem voltou a falar de um dos temas que tem destacado nas últimas semana, criticando a "corporate greed" que tem conduzido ao aumento da desigualdade social nos EUA. Edwards pode ser a surpresa no campo democrata, afirmando-se definitivamente como um nome a ter em conta. Ainda bem. Obama parece cada vez mais ser aquilo que tanto critica nas suas intervenções, dizendo aquilo que as pessoas (e os seus financiadores) querem ouvir.

PS: Com um correspondente especial nos EUA a tempo inteiro, e um intermitentente entre Angola e Chicago, o Zero de Conduta vai acompanhar as eleições com especial atenção. Na barra da direita, já se pode encontrar o link para todos os textos sobre a Indecisão 2008. Serão muitos.
Etiquetas:

publicado por Pedro Sales às 17:17
link do post | comentar | ver comentários (3) |

Terça-feira, 6 de Novembro de 2007
Para além disso, toda a gente sabe que a "medicina socialista" come criancinhas ao pequeno-almoço
"Eu tinha cancro da próstata há cinco, seis anos atrás. As minhas hipóteses de sobreviver - e, graças a Deus, fiquei curado - nos Estados Unidos? Oitenta e dois por cento. As minhas hipóteses de sobreviver a um cancro na próstata na Inglaterra? Apenas 44 por cento, com a sua medicina socialista".

Já há vários dias que se sabia que os números usados por Rudy Giuliani, o mais que provável candidato republicano às presidenciais norte-americanas, eram falsos. Ontem, numa raríssima intromissão na campanha eleitoral de outro país, o ministro da Saúde britânico veio desmentir publicamente o candidato presidencial republicano e esclarecer que, em Inglaterra, a taxa de recuperação se situa nos 74.4% - e a subir. Pouco importa. Giuliani, numa exemplar demonstração de que Bush fez escola na política americana, já garantiu que vai continuar a transmitir o anúncio na mesma.

Mas o mais importante no anúncio não é tanto o que diz Giuliani mas o que fica por dizer. Esconde que a "medicina socialista" custa aos contribuintes menos de metade do que os americanos gastam em despesas de saúde. O único país industrializado sem um serviço universal de saúde, é o país que gasta mais em despesas médicas: 15% do PIB. O resultado? 46 milhões de cidadãos, sem seguro, não tem acesso a nenhum cuidado de saúde. A pergunta que exigia resposta era essa. Qual é a probabilidade que esses milhões de pessoas têm de sobreviver a um cancro da próstata? Zero por cento. É esse o número que interessa, por muito que os nossos liberais de serviço pretendam elogiar as virtudes de um sistema exclusivamente privado que gasta fortunas para apresentar indicadores medíocres.

publicado por Pedro Sales às 12:30
link do post | comentar | ver comentários (5) |

Quinta-feira, 18 de Outubro de 2007
Finalmente, um candidato a sério
Stephen Colbert anunciou a sua candidatura presidencial. Atendendo à qualidade de quem está na Casa Branca, e à maioria dos candidatos republicanos, não é difícil constatar que um comediante tem tudo para ser o candidato mais sério nas próximas presidenciais americanas.


Etiquetas: ,

publicado por Pedro Sales às 10:24
link do post | comentar |

Domingo, 12 de Agosto de 2007
Já que falamos em novilíngua...



Etiquetas:

publicado por Pedro Sales às 17:48
link do post | comentar | ver comentários (1) |

Sábado, 11 de Agosto de 2007
O Obamistão Luso rejeita o Kucinismo Científico
O Filipe já tinha trazido o Kucinich à baila e o homem continuou a fazer sucesso aqui e aqui. Depois a febre Kucinista alastrou como fogos durante um governo PSD. Ponto por ponto, Somos todos Kucinistas (aqui e aqui). Na verdade, ninguém o aceitou: parece que toda a gente simpatiza com alternativas reais de poder, nomeadamente Obama. Na humilde opinião deste escriba, Obama tem sido uma desilusão e o seu posicionamento táctico - uma terra de ninguém entre a inicial frescura apolítica (o jovem sem nódoas de governação no seu passado, que é curto) e o actual proto-Homem-de-Estado cinzentão - tem deixado um rasto de ambiguidades. Se fosse para fazer isso, sempre preferia a Hilária.

Links estivais:
i) o teste que circulou inicialmente
ii) outro teste (um pouco melhor)
iii) sondagens, sondagens e mais sondagens,
iv) um especial para freaks de tabelas.
v) um especial para freaks de mapas: para brincar com a geografia eleitoral de 2008.

publicado por Vasco Carvalho às 20:11
link do post | comentar |

Sexta-feira, 10 de Agosto de 2007
lollabama jam?
"Daughter" (grande balada musical dos anos 90), no Lollapalooza 2007


A AT&T-comunicações, recordista nos lóbis (36 milhões de dolares desde 1990, a maioria para republicanos desde os anos Clinton), patrocionou o palco principal do festival Lollapalooza. Por decisão da administração, a AT&T decidiu excluir duas frases da versão online do concerto de encerramento (com os Pearl Jam, já bem acabaditos): "George Bush leave this world alone" e "George Bush find yourself another home" (frases já tão banais como a banda que as canta hoje, mas eu sou um tipo amargurado do grunge). Gramem lá então com 4 minutos dos good 'ol 90s para apanhar o coro georgiano (não censurado). Tudo explicadinho no fan club, para quem já lá não põe os pés há um tempo.

[a AT&T também autorizou as escutas do governo e tem estado na frente de batalha contra o projecto de net neutrality. É a pior empresa do mundo, na humilde opinião deste seu cliente]

publicado por Filipe Calvão às 07:02
link do post | comentar | ver comentários (1) |

Zero TV
ZERO DE CONDUTA
Filipe Calvão

José Neves

Pedro Sales

Vasco Carvalho


zeroconduta [a] gmail.com
Indecisão 2008
Subscreva
Zero links
arquivos

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Feeds