Segunda-feira, 7 de Julho de 2008
homem de estado, nascido para o poder

imagem Kaos

 

o nosso primeiro (notícias das Beiras via raiva escondida)



publicado por Vasco Carvalho às 08:24
link do post | comentar | ver comentários (1) |

Domingo, 29 de Junho de 2008
hara-kiri na net

dn.sapo.pt, página principal,

 

Que o DN era uma anedota na internet já os seus leitores sabiam. A navegação no site, os conteúdos, o motor de busca e a demente página inicial são web 0.1. Aliás, através da Wayback, podemos ver a página do DN em Junho de 1998:

 

Mais ou menos a mesma pobreza de hoje, mesmo assim mais navegável. A evolução do DN em mais de uma dezena de anos na net já mostra, portanto, claras tendências suicidas. Isto já vem, é claro, de muito longe: a tortura do grafismo e a sua evolução duvidosa são tópicos recorrentes na edição em papel.

 

Hoje chegámos à balda total. Desde as 7 da manhã até agora, 22h17, a página inicial do dn.sapo.pt  tem o Bastonário dos Advogados em landscape e ninguém diz nada. Está tudo a ver a bola, o pessoal do DN não deve ter acesso à net e o Sapo, obviamente, não está interessado em manter um nível mínimo de qualidade. Azar, fica assim.

 

É hara-kiri na net, digo eu.



publicado por Vasco Carvalho às 21:50
link do post | comentar | ver comentários (9) |

Quinta-feira, 17 de Abril de 2008
O irreal país laranja

O PSD apresentou ontem, em pleno debate sobre a simplificação legislativa do divórcio, cinco projectos de lei para o que dizem ser a dignificação e protecção da família. Uma breve leitura da Lei de Bases ontem apresentada dá para constatar a confrangedora vacuidade da proposta, mero pretexto para o partido apresentar a sua versão beata e ahistórica da "família", numa nada escondida piscadela de olho ao discurso da Igreja Católica.

Só que este truque é velho de anos. Em todos os debates sobre a despenalização do aborto que tiveram lugar no Parlamento, o PSD retorquiu sempre desvalorizando a importância do tema e defendendo a necessidade de apostar na educação sexual - isto, apesar de terem votado contra todas as propostas legislativas (e foram muitas)nesse sentido... O conservadorismo social é cada vez mais uma das imagens de marca de um PSD crescentemente confinado e enfeudado nos sectores mais fechados da sociedade portuguesa. Aqui há uns anos dizia-se que o PSD era o partido mais português de Portugal, uma expressão que, não por acaso, caiu em desuso. O país que hoje dizem representar é uma espécie em vias de extinção.

Ocupados com as lutas internas e obcecados com a comunicação social, não repararam que a demografia, escolarização e a tímida modernização do tecido económico mudou o mapa do país. A simples comparação dos resultados dos dois referendos à despenalização do aborto -  e o voto esmagador registado pelo “Sim” entre os jovens e principais centros urbanos - devia fazê-los perceber que a demografia tornou o “país real” que dizem defender cada vez mais uma peça de arqueologia social. De resto, basta ver quem aparece hoje a dar a cara pela regeneração do partido: Aguiar Branco, o porta-voz do “Não” no maior programa de debate televisivo no último referendo. O problema do PSD não é só Menezes. É não ter nada para dizer a camadas cada vez mais amplas da sociedade. Logo por azar, as mais dinâmicas e reprodutoras de opinião. O PSD é cada vez mais o partido da “má moeda”.

Etiquetas: ,

publicado por Pedro Sales às 20:41
link do post | comentar | ver comentários (3) |

Sábado, 15 de Dezembro de 2007
Jornalismo de referência?











às vezes gostava de não ter de verificar a notícia duas vezes com a imprensa estrangeira. de vez em quando não me importava de confiar no que vem escrito. uma vez por outra gostava de ter a oportunidade de ler factos sem pensar em motivos ulteriores. para poder tirar as minhas próprias conclusões; manhosas, é certo, mas minhas. não era preciso ser sempre, só assim de vez em quando.

Jornalismo de referência? Dommage, não temos.

publicado por Vasco Carvalho às 07:43
link do post | comentar | ver comentários (4) |

Quinta-feira, 13 de Setembro de 2007
Os anti-americanos do “mas” já chegaram à América
Enquanto dezenas de milhar de portugueses invadiam as ruas a protestar contra a guerra, e as sondagens indicavam uma oposição de 80% à invasão do Iraque, a imprensa enchia as páginas com editoriais e colunas de opinião que não escondiam uma “lágrima furtiva” com o “25 de Abril” de Bagdad. Foi curta a emoção, sendo curioso reparar como mudaram de opinião, ou passam ao lado do assunto, os mais encarniçados guerreiros de sofá da nossa imprensa.

O 11 de Setembro é o dia que lhes resta para ajustarem contas com o seu passado, sem os “adversativos” que tanto irritam Ferreira Fernandes. O colunista, que escreve diariamente na esquina direita do DN, está muito irritado porque “para alguns foi 11 de Setembro mas”. Não que Ferreira Fernandes tenha alguma coisa contra o mas e o uso de adversativos, não gosta é que alguém os utilize quando ele não concorda. Veja-se o que escrevia FF nos dias seguintes à eleição de Zapatero. “A discussão que vai para aí sobre se Aznar mentiu ou não! Um primeiro-ministro a escamotear dados para ganhar eleições é assunto importante quase sempre. Mas não neste caso.” Pois...

A mentira interessa pouco a Ferreira Fernandes, seja em Madrid ou em Washington, com paragem nos Açores. O exercício é conhecido. Quem critica a política da administração Bush, e a forma como conduziu a guerra ao terror depois do 11 de Setembro, é anti-americano. São "os que não contam". Só há um problema nesta lógica. É que os EUA estão cheios de anti-americanos. Tantos, que até levam os seus "mas" para os programas nas maiores estações televisivas. Aqui fica um exemplo, da emissão especial da MSNBC no 11 de Setembro.




Etiquetas: ,

publicado por Pedro Sales às 18:17
link do post | comentar |

Quinta-feira, 6 de Setembro de 2007
Você não está a falar para mim
email: geral@igai.pt; Telefone: 21 358 3430


publicado por Vasco Carvalho às 17:28
link do post | comentar | ver comentários (1) |

Quarta-feira, 5 de Setembro de 2007
PSP: Polícia de Sova Pública
Aviso pré post: o post seguinte contém a dose mais que habitual de bas-fond, PSP, Violência Policial 1, 'disconnected youth',you-tube, blogolândia, tvi,claques de futebol, jornalista do Portugal Diário, posição previsível de esquerda, caixas de comentários a regurgitar, 2 dias nas notícias até ao próximo osso... Se preferir luta de classes mais soft e mais bem escrita diriga-se a outros lugares. Aqui fica o que isto é, mesmo depois de tudo isso,Violência Policial 1, feio, comum, previsível e mal contado... E não mencionei as conversas no Portugal de sofá. E de escritório. E de café. E sentiram aquele momento em que, por todo o país, o bom chefe de família decidiu anunciar, perante a TVI e a família: deviam era enforcá-los esses ... Foi ontem à noite, à hora das notícias.


(visto no Bitoque)

Meses depois da vergonha pública no 25 de Abril, exposta no Cravado no Carmo e dias depois do exibicionismo infantil no Hi5, onde agentes da PSP deixaram a sua foto-reportagem de uma operação policial completa com comentários como 'acabem com os mitras', os seus 'camaradas' voltam a aparecer na net, desta feita quatro agentes espancando ao pontapé um jovem negro.

Resposta da PSP: não se verificou nenhuma queixa de agressão. Pois, resta saber se quem foi espancado assim ainda tem língua para falar (literalmente). É que quem já perdeu amigos por 'força excessiva' da PSP -eufemismo típico de cobardes- reconhece que é este o 'standard procedure' contra os suspeitos que não são brancos; 'não está a falar comigo' como se houve no vídeo, seguido de pontapé, é a resposta à interpelação 'o que é que eu fiz para me bater?'. O meu amigo morreu porque tinha roubado um carro na margem sul. O resultado foi a suspensão de um agente durante dois meses. Avaliando pela reacção da PSP, os jovens no vídeo devem ter passado sem pagar no metro. Ou roubado um telemóvel. Ou nada mesmo. Tudo é crime hediondo e serve para sujar a bota polida em tardes de menos acção.

publicado por Vasco Carvalho às 17:58
link do post | comentar | ver comentários (1) |

Segunda-feira, 3 de Setembro de 2007
O Murdoch de Penafiel
PS: A ver também o trabalho de André Levy no Jangada de Pedra (saravá Samir!).

publicado por Vasco Carvalho às 08:07
link do post | comentar | ver comentários (3) |

Quinta-feira, 23 de Agosto de 2007
230 000 Euros? No problem (update)


Actualização, já incluindo a estratégia de Marques Mendes. A partir da frase de topo seguir: yes, yes, I know, yes, yes.

Did it work? NO!

PS: é oficial, o Blasfémias e o Insurgente não têm opinião sobre o assunto.

publicado por Vasco Carvalho às 16:49
link do post | comentar | ver comentários (4) |

Quem é amigo, quem é?
Não foi preciso muito. Um dia depois de se conhecer que a Somague financiou o PSD à margem da lei, a edição de hoje do Público mostra como, um mês e meio depois desse providencial cheque, a Somague foi beneficiada por uma decisão do Governo PSD. Curiosamente, o responsável por essa decisão foi o secretário de Estado das Obras Públicas, Vieira de Castro, que era o responsável financeiro do PSD quando este partido enviou uma despesa de 233 mil euros para facturação na Somague.

Uma das primeiras decisões políticas anunciadas pelo então secretário de Estado das Obras Públicas, Vieira de Castro, foi a de pedir ao Conselho Consultivo da Procuradoria-Geral da República (PGR) um parecer jurídico para esclarecer "algumas dúvidas" relativas à concessão da auto-estrada Litoral Centro à Brisa. A Procuradoria considerou, passado poucos meses, que as “dúvidas” de Vieira de Casto não tinham cabimento, mas, entretanto, a Somague já tinha deixado de se lamentar da “posição dominante” da Brisa e tinha feito uma parceira com esta empresa, entrando desta forma na apetecível concessão da A17.

Ao contrário do que ontem tentava fazer crer o editorial do Diário de Notícias, o financiamento da Somague ao PSD não tem nada a ver com as sucessivas multas que os partidos recebem pelos erros administrativos e processuais nas suas contas. São condenáveis, claro, mas estão a léguas de ser uma “ilegalidade objectiva”. Uns dão multa decidida pelo TC, o segundo, à luz da lei actual, dá direito a pena de prisão e a pesadas coimas aos infractores. Misturar os dois casos é uma mistificação para desvalorizar o sucedido, como também o fez Pacheco Pereira, sempre tão atento e diligente para denunciar as mistificações e desvios da imprensa que não se coadunam com a sua agenda política.

publicado por Pedro Sales às 15:06
link do post | comentar | ver comentários (2) |

Sexta-feira, 3 de Agosto de 2007
Estudo confirma que as hormonas não vão à missa nem ligam nenhuma ao Bush
Um estudo desenvolvido por uma equipa da Universidade de Oxford confirma aquilo que já se suspeitava. Os programas de prevenção do contágio da Sida e da gravidez na adolescência que promovem a abstinência sexual são um falhanço completo. Não têm nenhum impacto na idade da primeira relação sexual, no número de parceiros sexuais, nem aumentam a probabilidade dos adolescente terem sexo seguro. Estes programas, que fazem parte da agenda conservadora nos EUA, representam um terço da despesa federal deste país com o combate à Sida desde que Bush chegou ao poder e submeteu a política de saúde pública às convicções religiosas de uma minoria de fanáticos. O falhanço destes programas contrasta com os indicadores positivos dos que recorrem à distribuição e promoção da utilização de preservativos.
Etiquetas:

publicado por Pedro Sales às 15:28
link do post | comentar | ver comentários (2) |

Sábado, 21 de Julho de 2007
Quando o exercício da actividade política esteve mesmo em causa, a ministra da justiça era esta senh
Paulo Portas vai processar o Estado pelas fugas de informação que têm visado o partido no caso Portucale e dos submarinos, acusando as instituições judiciais de terem sistematicamente violado o segredo de justiça. Sobre Lisboa, nada ou quase nada. Provando que, com Paulo Portas, o despudor e a recusa da assumpção de responsabilidades são a essência da sua vida política, o líder do PP aparece agora muito preocupado com as condições do exercício da oposição em Portugal. Foi esse o comovente resultado da sua reflexão semanal.

Quando essas condições estiveram verdadeiramente em causa, com a fabricação de provas, manipulação de informação sob segredo de justiça - envolvendo o próprio director da PJ – e a instrumentalização da justiça para decapitar o principal partido da oposição, nada se ouviu de Paulo Portas. Pelo contrário, deixem a justiça trabalhar era a palavra de ordem durante os longos meses do processo Casa Pia. Curiosamente, à altura desses factos, Paulo Portas era o número dois do Governo e, no ministério da Justiça, sentava-se uma dirigente do PP por si nomeada.

publicado por Pedro Sales às 23:38
link do post | comentar |

Sexta-feira, 20 de Julho de 2007
A claustrofobia democrática não é um exclusivo socialista
Confederações patronais querem possibilidade de despedimentos por razões ideológicas.


publicado por Pedro Sales às 11:37
link do post | comentar |

Segunda-feira, 9 de Julho de 2007
Momento alto do debate na RTP
Ver o PP e o PNR a discutirem, entre eles, medidas para combater a insegurança. Estavam a entender-se até o PNR começar a criticar Telmo Correia por este querer colocar uma câmara de vídeo em cada esquina. Estaríamos a criar um “big brother”, diz o candidato fascista.
Etiquetas:

publicado por Pedro Sales às 22:37
link do post | comentar | ver comentários (1) |

Sábado, 7 de Julho de 2007
Uma frase que é todo um programa. O do PNR.
“Somos todos filhos de D. Afonso Henriques e vivemos felizes com isso”.
Telmo Correia, candidato do Partido Popular à Câmara Municipal de Lisboa, aos microfones da SIC. 7 de Julho de 2007.

Só quem não tem estado atento à campanha que Telmo Correia está a fazer em Lisboa é que pode pensar que a lamentável xenofobia desta frase é um equívoco. Nada mais falso. A cada dia que passa, e com todas as sondagens a colocarem-no fora da vereação, Telmo Correia não pára de encostar o discurso do Partido Popular às tradicionais bandeiras eleitorais da extrema-direita. Ele são os casamentos gays, o fim da despenalização da droga ou das salas de injecção assistida, os grafiteiros que sujam as paredes ou a mais que ambígua distribuição de pás e vassouras “para limpar a cidade”.

Não é a primeira vez que o PP, sob a direcção de Paulo Portas, recorre ao populismo mais rasteiro e primário para salvar a face num acto eleitoral. Em 2002 foram os ciganos, que "roubavam" o Rendimento Mínimo Garantido. Agora chegámos à purificação da raça. Dêem-lhes tempo.
Etiquetas: ,

publicado por Pedro Sales às 22:20
link do post | comentar | ver comentários (5) |

Quinta-feira, 5 de Julho de 2007
E se um desconhecido, de repente, lhe disser mal do governo?


A liberdade de expressão, por Carmen Pignatelli, entre os risos de vários dirigentes do Ministério da Saúde.

Felizmente que vivemos em democracia, proclamou ontem a Secretária de Estado da Saúde, antes de nos explicar o que é que isso significa. As críticas ao Governo devem ser feitas "nos locais próprios". Em nossa casa, na rua, ou na esquina do café com os nossos amigos.

E mesmo aí deve imperar o respeitinho. Por determinação do Governo Civil de Braga, o Ministério Público do Tribunal de Guimarães deu origem à abertura de um processo, cuja primeira fase passou pela identificação das pessoas que participaram na manifestação que esperou o Primeiro Ministro, José Sócrates, aquando da reunião do Conselho de Ministros realizada em Guimarães, no passado dia 7 de Outubro. O processo está na fase de audições às pessoas identificadas pela PSP e aos jornalistas que reportaram o acontecimento.



publicado por Pedro Sales às 07:53
link do post | comentar | ver comentários (6) |

Terça-feira, 3 de Julho de 2007
Este homem é um senhor, carago
Um grupo de 53 empresários de Braga promove amanhã um jantar de solidariedade para com o administrador da Bragaparques, Domingos Névoa, por considerar que está a ser "injustamente julgado na praça pública".

Independentemente de qualquer decisão judicial, anunciou um dos promotores do jantar, Domingos Nóvoa "é um homem cujo trabalho merece ser seguido", "como exemplo, por muitos gestores portugueses". Para quem demonstra tanta preocupação com a independência do sistema judicial, este "grupo de amigos" demonstra que já se libertou das amarras processuais que ainda infestam a nossa Justiça, como essas minudências de tentar descobrir se alguém é culpado ou inocente.

De facto, para quê tanta preocupação em tentar descobrir se este homem "que trabalha de sol a sol" mexeu os cordelinhos para comprar as influências necessárias para lesar os lisboetas em mais de 40 milhões de euros? Como os promotores dizem representar 80% do PIB da região, isso deve-nos explicar alguma coisa sobre as práticas empresariais de um distrito que, apesar de dispor do maior número de Ferraris por habitante em todo o mundo, apresenta também a mais elevada taxa de desemprego do país.

publicado por Pedro Sales às 12:18
link do post | comentar | ver comentários (2) |

Ai já viu, um homem tão sério e tão bem parecido...
...tem cara de estadista, daqueles que já não se vêem.

Uma mini-dose bem servida no Bitoque.

publicado por Vasco Carvalho às 01:54
link do post | comentar | ver comentários (1) |

Zero TV
ZERO DE CONDUTA
Filipe Calvão

José Neves

Pedro Sales

Vasco Carvalho


zeroconduta [a] gmail.com
Indecisão 2008
Subscreva
Zero links
arquivos

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Feeds