De Paulo Mouta a 5 de Setembro de 2008 às 00:47
"Cerca de 680 detenções, 46 armas ilegais e 10014 munições apreendidas são os resultados das 147 operações policiais realizadas pela GNR, PSP e SEF, entre 24 de Agosto e 01 de Setembro"

in TSF - http://tsf.sapo.pt/PaginaInicial/Portugal/Interior.aspx?content_id=1009439


De Pedro Sales a 5 de Setembro de 2008 às 05:13
Paulo,

Mais me ajuda. 147 operações para apreender 46 armas ilegais, muitas das quais nem armas de fogo são. Quanto às detenções, pelo que tenho visto, a esmagadora maioria são pessoas sem carta de condução ou que estão a conduzir sob o efeito do álcool .

Resta ainda a questão dos direitos dos moradores dos bairros. A polícia, em muitas dessas acções, levou as televisões atrás. E quem se viu envolvido num filme em que nada fez para participar? Não têm direito à imagem porque vivem num bairro social? Estas operações não têm nada a ver com a prevenção da criminalidade, como se vê pela sua miserável produtividade. São uma encenação para português ver. à custa dos desgraçados do costume.


De Paulo Mouta a 6 de Setembro de 2008 às 01:26
Pedro,

46 armas ilegais correspondem a um pequeno universo das armas ilegais existentes. Então estamos de acordo se eu disser que a polícia deve mesmo é reforçar as suas formas de intervenção para apanhar todas as outras que por aí circulam?

Ainda que fosse uma só arma ilegal em potência poderia terminar com muitas vidas humanas. É que as armas por si não fazem mal a ninguém. Quem o faz são as pessoas que as têm.

Das 680 detenções serão a maioria condutores sem carta. É possível mas olhe que os automóveis podem ser eles próprios armas ou ferramentas para o crime. E poucas coisas existem que estupidifiquem tanto um ser humano como encontrar-se atrás de um volante.

Eu compreendo a essência da mensagem transmitida à exaustão pelo Pedro Sales e por muitas outras pessoas. Mas o mundo e a natureza humana não se coadunam com uma atitude constante de vitimização do mal e com uma demonização da intervenção policial. Afinal as polícias existem para proteger os cidadãos e para intervirem da forma que entenderem ser a mais adequada. Estes resultados, como é sabido pecam por defeito uma vez que os números reais das armas ilegais e do seu uso são muito superiores.


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres