Comentários:
De jjleiria a 4 de Setembro de 2008 às 00:37
Mesmo assim, 70 bombas de gasolina assaltadas em seis meses (segundo a SIC), dá uma média impressionantíssima de um assalto a cada 2,6 dias...

Sendo a pergunta de bolso para casa, logo a seguir, «sente-se seguro quando entra num posto de combustível?», calculo que podíamos dividir esse número por não sei quantos milhares, aplicando ainda a correcção horária, e chegar a uma conclusão lógica.

Já o Marx: a julgar pelas verbas divulgadas na peça (500 euros, 600, 1500!), a dividir geralmente por dois homens, não se pode dizer que seja grande profissão — a não ser que a imprensa só divulgue os números baixinhos, para não dar ideias... É que não sei se paga sequer o investimento nas armas.


De Fernando Penim Redondo a 4 de Setembro de 2008 às 09:01
O post é excelente e por isso glosei em:

http://dotecome.blogspot.com/2008/09/marx-realmente-incontornvel.html


De Anónimo a 4 de Setembro de 2008 às 10:28
Parece aquele sketch do RAP: "José António, deixa a droga e come antes uma peça de fruta, que te faz melhor, rapaz"

Pedro


De Teresa Coutinho a 4 de Setembro de 2008 às 12:53
Genial, achei a frase absolutamente genial. Andamos todos tão preocupados com a situação de insegurança, quando afinal basta sermos compreensivos e tolerantes.


De Alice N. a 4 de Setembro de 2008 às 22:13
Também foi muito comovente ouvi-lo referir-se aos assaltantes como "os senhores ladrões". Genial e tremendamente ternurento!


Comentar post