De Paulo Mouta a 2 de Setembro de 2008 às 17:19
Se a cada uma destas armas associarmos as potenciais vítimas não será que podemos pensar que uma vida humana que possa ter sido salva indirectamente já validou a operação?

As plícias não existem para isto mesmo?


De Pedro Sales a 2 de Setembro de 2008 às 17:53
O que levou a polícia a tratar os habitantes de vários bairros como sendo, todos eles, potenciais criminosos. Porque era na Quinta do Mocho e não na Quinta da Marinha, não nos incomodamos? A certeza de que, sendo um bairro de pobres, iam encontrar mais delinquência, ou responder aos estereótipos formados pelas pessoas, estigmatizando ainda mais os moradores dos bairros. E, para isto, mobilizam-se mais de 1000 policias para apanhar 8 armas de fogo? Sejamos sérios.



De Paulo Mouta a 3 de Setembro de 2008 às 01:26
Quantas pessoas pode uma única arma matar? ^Qual o motivo da comparação com a Quinta da Marinha? Por acaso conhece Cascais? Se lhe roubassem o seu carro em Cascais certamente que o iria encontrar num dos bairoos como o da "Cruz vermelha", o "fim do mundo" a "Torre" ou outro qualquer e de certeza que não seria na "Quinta da Marinha" ou na "Quinta da Bicuda" ou em "Birre". Porque será?

Existem deferentes criminalidades nos diferentes locais com diferentes envergaduras. A estigmatização social é feita à partida quando se criam os Guetos, não haja dúvidas sobre isso. No entanto não são os bairros que criam os maus carácteres. O Pedro Sales já viveu num bairro destes? Qualquer um deles?

Não creio de todo que a intervenção policial sea má nestes bairros nem que seja para eliminar de vez as maçãs que vão apodrecendo todo o cesto.


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres