Comentários:
De Hugo a 19 de Agosto de 2008 às 22:20
Não percebi o seu ponto de vista. Acha que deveríamos gastar o mesmo que os Australianos? Ou que se gastássemos 33x mais iríamos ter 33x mais medalhas? Mesmo que seja isso que pretendia focar, o problema é de educação, nem banhados a ouro chegaríamos lá.


De Pedro Sales a 19 de Agosto de 2008 às 22:25
Não. Estou só a dizer que os países de topo têm condições com que os nossos atletas nem sonham. Vir depois exigir medalhas e falar em falta de brio e ética só demonstra ignorância de quem não percebe o que é hoje o desporto de alta competição. O problema é de educação, tem razão. Começa pelo desporto escolar, que não existe, e pela inexistente cultura desportiva dos portugueses. Aqui é só futebol. Melhor, arbitragem, que é o que se discute nos jornais e nos comentários com que três jarretas ocupam o horário nobre das tv´s há mais de 20 anos.


De Pedro Sousa a 19 de Agosto de 2008 às 22:51
Deve ser por isso que os Jamaicanos não ganham medalha nenhuma... é óbvio que é preciso investir mais no desporto, mas a relação investimento/nº de medalhas não é aritmética.


De Pedro Sales a 20 de Agosto de 2008 às 00:18
É verdade. Mas vale a pena lembrar que os atletas de topo da Jamaica treinam nos EUA e dispõem das melhores condições de treino do planeta. Depois, parece que há questões genéticas que merecem atenção: http://slate.msn.com/id/2197721/



De Helder a 21 de Agosto de 2008 às 06:13
Mas quem te disse que os jamaicanos não investiram?
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

Mas quem te disse que os jamaicanos não investiram? <BR class=incorrect name="incorrect" <a>Teem</A> neste momento uma das melhores escolas , como provam os resultados . <BR>Ou pensas que foi á base de brio e amor pátrio?


De f a 19 de Agosto de 2008 às 23:15
Não só dispenso as medalhas como a participação em jogos olímpicos.


De Nuno Góis a 20 de Agosto de 2008 às 05:01
O problema é de educação, tem razão.
É obvio que concordo com quase tudo o que escreveu, mas sente-se realmente alguma falta de brio que não se sente, por vezes, em países com condições piores ou mais difíceis.
Quanto às questões genéticas também concordo e muito me orgulha que três dos grandes nomes nacionais sejam africanos (Obikwelu, Naide Gomes, Nelson Évora).
E mesmo para concluir e em jeito de reflexão.
Não se nota uma atitude e brio diferentes em Vanessa Fernandes e nos nomes acima mencionados em relação a quase toda a restante comitiva?


De pedro oliveira a 20 de Agosto de 2008 às 10:00
Eu quero é desporto escolar como deve ser,organizado,competitivo e que depois os melhores sejam acompanhados devidamente para potenciar futuros campeões.Isso não é gastar dinheiro é investir,quer no aumento na base de recrutamento,quer na criação de hábitos de desporto com reflexos claros na saúde pública logo poupança de "oiros".

Para finalizar quem oficialmente escrveu que o objectivo eram 4 medalhas e 60 pontos não foram nem os jornalistas nem o povo, foi o COP!


De Anónimo a 20 de Agosto de 2008 às 16:36
Até bate certo. Uma conta rapida mostra que dá uma relação de 15M por medalha, para os Australianos, igual tb para os Portugueses. O que só reforça o interesse da premissa apresentada, sem investimento em quantidade não há medalhas em quantidade. E deixamos de fora a qualidade do investiemnto...


De Planetas - Bruno a 20 de Agosto de 2008 às 17:15
15M€ = 1 medalha

hummm.....

Com apenas 100mil € nacionalizas 4 moças do Kenya, com casa na Qta da Fonte e tens medalhas Olimpicas garantidas.


De Anónimo a 21 de Agosto de 2008 às 09:38
pensava que já ninguem acreditava que os bébes vêm de frança no bico da cegonha ou nas caixas de sardinhas


Comentar post