Comentários:
De MFerrer a 12 de Agosto de 2008 às 14:30
Hip. 1 : A GNR não viu a criança e disparou para parar a fuga. Errou a pontaria. Riscos da profissão de assaltante.
Hip. 2 : A GNR viu a criança a ser levada por um grupo de assaltantes e como a considerou vítima de rapto, disparou sobre o veículo. Errou a pontaria. Riscos da profissão repartidos entre a GNR e os assaltantes.
Hip. 3 : A GNR viu que a criança era parte do grupo de assaltantes e sem poder avaliar a sua idade, em andamento, resolveu disparar para parar o veículo dos assaltantes. Errou a pontaria? Riscos da profissão de formador profissional de menores nas lides do roubo do cobre por tudo o que é sítio. Falta de profissionalismo. !É o que é!
Tudo o mais são tretas de puristas armados em virgens vestais e juristas da sociedade "in vitro". Tanto quanto sei, tal não existe.
Se se começar a tratar os gatunos como marginais com poucos direitos, talvez a criminalidade baixe!
Os que se queixam da brutaklidade policial são os mesmos que se lamentam que os tribunais sejam moles e a justiça não funcione, ou que a criminalidade esteja em crescendo!
Haja paciência para estes diletantes.
Sugestão: Os carros dos assaltantes deviam ser obrigados a ter, além da matrícula falsa, a constituição da quadrilha, os grupos sanguíneos e o tel. dos advogados.
MFerrer


De Rui Carlos Gonçalves a 12 de Agosto de 2008 às 14:56
Ainda gostava de perceber porque raio é que a criança de 12 anos estava na viatura...

Já pensaram em responsabilizar o pai por a ter envolvido no roubo? Antes de se queixarem da polícia, queixem-se do(s) pai(s).


De Pedro Sales a 12 de Agosto de 2008 às 18:31
Aos dois comentadores anteriores,

1. Não é suposto interromper um assalto pondo em risco a vida dos assaltantes. Digo e repito. A força policial, por ser conferida e usada em nome de todos, deve ser proporcional ao risco apresentada. Neste caso um assalto de trazer por casa.

2. Responsabilizar os pais por levarem uma criança para o local de um delito? Claro. Os assaltantes devem ser presos. Não é suposto serem mortos, ainda por cima sem julgamento. É essa a diferença.

3. Não é suposto colocarmos a GNR e delinquentes no mesmo plano. Como cidadão tenho o direito de esperar umas forças policiais que cumpram as regras de um estado de direito. Como é normal, não posso esperar o mesmo de delinquentes. Por isso é que existem tribunais e prisões. Mas não a pena de morte. Mais uma vez, é essa a diferença.


De Rui Carlos Gonçalves a 12 de Agosto de 2008 às 21:24
"2. Responsabilizar os pais por levarem uma criança para o local de um delito? Claro. Os assaltantes devem ser presos. Não é suposto serem mortos, ainda por cima sem julgamento. É essa a diferença."

Se não tivessem fugido, se se tivessem entregue à polícia, já tinham direito ao julgamento. Ao optarem por fugir, sujeitaram-se.

A atitude da polícia foi exagerada? Talvez, mas as decisões têm de ser tomadas na hora...


De Dinis a 12 de Agosto de 2008 às 18:58
Concordo consigo. Vou linkar o post no meu humilde blogue, ok?!
Mas não posso deixar de dizer que há exagero (ou então questões pessoais) na tentativa de liquidar o Rogério do 5dias. A frase é infeliz mas seguramente não exprime bem o sentrimento do autor. Assim, desviamo-nos da discussão essencial.


De Casual Friday a 12 de Agosto de 2008 às 19:00
Tem razão, Pedro Sales. Houve claramente um excesso de meios nestas circunstâncias : disparo com arma de fogo numa perseguição automóvel é manifestamente desproporcionado. Naquele momento não estava em risco a vida de nenhum refém inocente, nem havia ameça directa e actual á vida de um agente da GNR. A GNR esteve mal na fooma de actuar, e deveria ser penalizada pelo excesso noo uso da força.


De Ana Costa a 12 de Agosto de 2008 às 19:05
A formação tanto operacional como psicológica não tem sido tratada convenientemente.Estas coisas não podem acontecer.Tem de haver alguma forma de obrigar um carro a parar que não ponha em risco a vida dos ocupantes.


De Rui Carlos Gonçalves a 12 de Agosto de 2008 às 21:26
Parece-me que foram os próprios ocupantes que resolveram pôr a sua vida em risco...


De Pedro Sales a 12 de Agosto de 2008 às 22:19
Eu quando tinha cinco ou seis anos roubei um toblerone no supermercado. A minha sorte era ser um puto e não ter percebido que tinha posto a minha vida em risco.

As coisas que uma pessoa vai aprendendo com a idade...



De Rui Carlos Gonçalves a 12 de Agosto de 2008 às 22:33
Se não fugisse, o risco não devia ser muito grande. Agora se desatasse a fugir num carro...


De MFerrer a 12 de Agosto de 2008 às 23:05
O Pedro Sales está a fazer concorrência desleal ao João Miranda que anda há 3 dias a atacar a polícia no caso BES/Campolide.
Aqui a diferença, é a tentativa de atropelamento do GNR e a fuga de carro. A GNR deve usar da força necessária para neutralizar uma fuga. Deve consumar a prisão de assaltantes apanhados em flagrante. É dever deles, sabia? Aliás a prisão em flagrante delito pode até ser consumada por qq cidadão! também não sabia? pois mande mudar as Leis e dê mais possibilidades de fuga a ordens de parar. Tudo se simplificaria: A uma ordem de parar e de se render, o visado tem a prerrogativa da escolha: Ou se entrega, contra contrapartidas de bom trato e de comodidades, ou vira as costas e manda o ordenante á pqp!
Assim estará tudo bem!
Santa paciência!
MFerrer


Comentar post