Comentários:
De Tiago Moreira Ramalho a 2 de Agosto de 2008 às 23:27
Que exagero Pedro, se calhar até pode ter sido despropositado mas é preciso tanto escandâlo? Os portugueses não sabem o que se passa, e depois? Agora os políticos só podem falar do que a população já tem conhecimento? Nao podem DAR conhecimento? Se calhar podia ter sido tudo resolvido sem recorrer à televisão, mas foi assim tão chato ter de ouvir o Presidente da República durante 7 minutos no jornal da noite?


De Pedro Sales a 3 de Agosto de 2008 às 12:26
Sete minutos? Foi o dia todo. O antes e o depois foram muito mais duradouros do que os sete minutos. A televisão e a dramatização que lhe esteve associada tem um resultado muito claro. Da próxima vez que falar não será escutado com a mesma atenção. E continuará a cair nas sondagens, porque as preocupações dos portugueses - que, de acordo com o INE, se encontram no ponto mais pessimista desde 1986 - não passam por um qualquer obscuro problema nos Açores que se podia resolver com uma audiência com os partidos. D


De Marco Alberto Alves a 4 de Agosto de 2008 às 18:34


Rui Ramos, Helena Matos, a "demissão do Governo", caramba: a Direita portuguesa não se ponha a pau, que ainda acaba toda num hospital psiquiátrico (ainda por cima público..)!


De Nuno Fernandes a 5 de Agosto de 2008 às 15:17
Desculpe, Sr Pedro Sales, mas qual Soares? Aquele que teve menos de 15% nas últimas eleições presidenciais? Acho que é esse. E ele vale esses menos de 15%? Claro que não - Soares vale mais do que 15%, obviamente.

No respeitante à actuação que acabou por se mostrar relevante para o sistema político, Sampaio não me deixa particularmente grandes saudades como presidente, já que falhou nos grandes momentos (não se pronunciou na descida ao pântano, a nomeação de Santana Lopes, etc). Por isso também não acho que valha os 55% - que, afinal, estão aqui como comparação menorizadora, ignorando que Sampaio chegou a atingir picos de impopularidade durante o segundo mandato similares aos que Cavaco actualmente apresenta.

Uma sondagem é uma sondagem e vale o que vale. No caso da presidência, quanto mais o incumbente se mexer pior para ele. Pressoalmente prefiro apenas que faça a coisa certa, dependente ou não da impopularidade que tenha ou não. A história julgará da bondade dos seus actos. Cavaco terá o seu ´julgamento´ em 2011 pelo que fizer até lá, e ainda há eleições legislativas pelo meio. Conhecendo o homem, ele também não se impressiona muito com sondagens - o que não é mau.

Quanto à actuação, acho exagerada uma comunicação formal para o efeito do estatuto dos Açores, e isso diminui o tal "poder da palavra" antes afirmado por Cavaco. A comunicação deve fazer parte de um jogo de corda qualquer entre Belém e o PS mas cujos passos de tango não vejo - nem tenho interesse em ver.

Mais do que estes episódios que rapidamente caem no esquecimento porvirão certamente tempos de decisões mais significativas na condução do país, e aí se verá se Cavaco toma as decisões mais adequadas para o efeito ou se mostra um novo Sampaio. Se é só para fazer corpo presente e desbobinar palavras finas, então que venha o bardo - já na Assembleia da República vimos, nos últimos anos, que para esse efeito é capaz de desempenhar o papel na perfeição.

Cmpts


De Nuno a 5 de Agosto de 2008 às 15:39
A mim o que me preocupa é este "inside trading" entre Belém e MFL, esta actuação concertada com acesso a informação privilegiada. Isto demonstra bem quem é a má moeda no PPD! Para além de ser uma vergonha para a instituição q representa.
Já nem falo desta vontade q o cavaco tem de querer governar. Cavaco não tem de tomar decisões na condução do país, não foi eleito para isso! Eu prefiro q o pai do monstro fique quieto que já fez a sua dose de danos entre 85 e 95 e absteve-se de efectuar as necessárias reformas! Miserável!
É claro que a gestão das expectativas foi desastrosa ou pior e da próxima ninguém lhe liga! E a menção feita pellos media vezes sem conta a "fontes anónimas da presidência" é completamente surreal! Então há fontes anónimas na PR? E os jornalistas publicam sem saber quem é a fonte? Desta cambada de jornaleiros já espero tudo e acredito em muito pouco!


Comentar post