Comentários:
De Minerva McGonagall a 19 de Junho de 2008 às 00:27
O que mais me choca é que esta história das 65 horas de trabalho passou despercebida. Neste país só de fala de futebol.


De MFerrer a 19 de Junho de 2008 às 02:05
Passei só para dizer que o Reino Unido ( mais a irlanda do Norte, claro!) acaba de ratificar o Tratado de Lisboa!
O tal que era morto e enterrado!
Esse mesmo!
Ele há dias terríveis para a esquerda irresponsável e para a direita trauliteira!
MFerrer


De Pedro Sales a 19 de Junho de 2008 às 04:45
Bão é um dos melhores exemplos, caro MFerrer.Imagina qual seria a taxa de rejeição do tratado se fosse submetido à consulta popular na Inglaterra? A Inglaterra deve ser o país com a maior aversão à integração europeia, quase sempre pelas piores razões, diaga-se.


De MFerrer a 19 de Junho de 2008 às 08:34
Caro Pedro Sales,
Essa é uma questão que, por fazer parte das conjecturas, pode ser tratada nas próximas edições sobre o que a vida poderia ter sido caso se dessem ou não dessem estes e aqueles fenómenos.
O que vai ficar para a História da Europa é que a Inglaterra - o mais populoso País da UE - que tem uma das mais velhas e eficientes democracias representativas, com duas Câmaras e tudo o mais, Ratificou uma Tratado chamado "de Lisboa". E, se como diz, têm ainda uma parte da população que não compreendeu da vantagem da integração europeia, a culpa não será nem do PS, nem do Sócrates, como muita gente se apressou a dizer.
Lá, como cá, a intoxicação provocada pelos media ao serviço de interesses anti-europeus, tem efeitos preversos: Verifico que por exemplo a TSF, inefável emissora ao serviço da oposição mais reaccionária, mas sempre a dizer-se independente e com jornalistas do melhor, essa TSF, ainda não deu esta notícia da ratificação pela Inglaterra.
Não sei o que pensar:
Julgam que escondem a realidade?
Estão à espera que a Rainha não assine o que se vai transformar em Lei?
Aguardam um levantamento popular?
MFerrer


De edobasilio a 19 de Junho de 2008 às 15:14
Oh Pedro Sales
Não comente o que não sabe. Essa directiva só se aplica aos países que têm regimes de excepção opt out ) negociados. Em Portugal o horário de trabalho é para todos 40 h semanais. Os acordos de flexibilização de horários que podem permitir mais horas por semana, não alteram essa lei básica. Na média anual o horário tem de ser sempre 40 h . As restantes serão horas extra e pagas como tal. Nas propostas em negociação para as alterações para o Código de Trabalho o horário continua a ser 40 h e vai continuar a ser.


De Pedro Sales a 19 de Junho de 2008 às 22:55
Caro Edobasílio,

Não comente o que eu não escrevi. Eu reconheço que ESTE governo não vai adoptar, mas quem é que nos garante que, depois de transcrita a directiva, o próximo não aproveita a boleia? José Sócrates não é o fim da história. Se não concorda, devia ter feito como a Espanha e outros países que se bateram contra a directiva. Simples. Parece-me.


Comentar post