Sábado, 31 de Maio de 2008
A fraude

O Partido Popular garante, ao jornal Público, que a moção de censura que apresenta é diferente das que apresentaram o Bloco e o PCP. Porquê? “Porque os populares prometem não se limitar a criticar um tema concreto, como consideram ter feito o BE e o PCP, mas focar-se em vários aspectos da governação e apresentar alternativas ponto por ponto. Dos combustíveis à política fiscal, das pensões à segurança, da saúde à educação. "Nós pensamos que muitos problemas se resolvem por via da economia e não por via de mais Estado", defende, enquanto frisa que o CDS defenderá menos Estado na saúde e na educação. "Vamos discutir políticas."


Um único problema. Uma moção de censura não é para apresentar alternativas de governação. Existem outros meios no Parlamento para o fazer, mas a censura é o instrumento para castigar o incumprimento ou a ineficácia das políticas do Governo. O que o PP está a fazer é a censurar o PS por este não estar a seguir um programa, neste caso o do PP, que não foi escolhido nas urnas. O Partido Popular defende menos Estado na saúde e na educação? Muito bem, está no seu direito. Vai a votos e sujeita-se à vontade popular. Agora, entender que uma moção de censura é o instrumento para impor ao Governo um programa que não foi sufragado, isso é que é novidade. Só mesmo o PP para chamar a esta fraude uma attitude construtiva.



publicado por Pedro Sales às 16:42
link do post | comentar |

Zero TV
ZERO DE CONDUTA
Filipe Calvão

José Neves

Pedro Sales

Vasco Carvalho


zeroconduta [a] gmail.com
Indecisão 2008
Subscreva
Zero links
arquivos

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Feeds