Sexta-feira, 30 de Maio de 2008
Este blogue avisa que só traficamos armas ao sábado e domingo

A reportagem ontem transmitida pela SIC sobre "os perigos da internet" é um dos momentos televisivos mais hilariantes dos últimos tempos. Para quem não viu - erro que rapidamente deve corrigir aqui, via 5 Dias -, Moita Flores faz o favor de alertar os portugueses, nos tons apocalípticos de quem comenta a internet com a mesma seriedade com que "analisa" o desaparecimento de uma menina inglesa, que os blogues são o espaço onde  se trafica armas, organizam terroristas e se organiza o branqueamento de capitais...


Depois de desfilar mais um sem número de lugares comuns, como o de uma disparatada noção de invasão da privacidade e de uma leitura mais que enviesada do caso Cicarelli, o jornalista que introduz a peça avisa-nos que um computador portátil é tudo quanto precisamos para começarmos a contar mentiras ao mundo todo. Ora, ora. Nem é preciso tanto. Basta esperar um minutinho e continuar ligado na SIC. Como o sentido da reportagem, e do debate que se lhe seguiu, é que um dos principais “perigos da internet” é o vazio legal que permite a impunidade da calúnia, a SIC garante que António Baldino Caldeira, o autor do blogue Portugal Profundo, nunca chegou a ser julgado por ter posto em causa as credenciais académicas do primeiro-ministro que elegeu como um “alvo".


Se o jornalista tivesse feito o seu trabalho, e não andasse à procura de casos que confirmassem a sua tese a martelo, teria percebido que António Baldino Caldeira “nunca chegou a ser julgado” porque a procuradora do MP resolveu arquivar a acusação feita por José Sócrates, entendendo que não havia «indícios de crime» nos dois textos publicados por António Caldeira. É verdade que o jornalista apresenta a reportagem com um portátil na mão. Se calhar até é capaz de ter alguma razão...



publicado por Pedro Sales às 20:35
link do post | comentar |

Comentários:
De Rui Carlos Gonçalves a 30 de Maio de 2008 às 20:56
A liberdade que a internet dá aos seus utilizadores, incomoda muita gente...

PS: A estratégia seguida na reportagem lembrou-me a forma como muita gente fala das praxes, pega-se em meia dúzia de maus exemplos, e tenta-se fazer querer que tudo é mau :)


De António a 30 de Maio de 2008 às 23:12
Caro Pedro Sales

Para além do meu caso pessoal, ressumou a raiva anti-blóguica no programa. Li no Fliscorno um comentário, do qual discordo, porque há duns e doutros: "um jornalista é um blogger frustrado"... Creio que não é: mas que têm inveja da ediação livre, isso têm.

Grato pela correcção em nome da verdade. Mas a parte que gostei mais foi a do "Baldino"...

O programa pareceu-me aquelas fotografias sem tema. O evento principal fugiu do filme previsto, aventa o dr. Martins lá no blogue dele - http://josemariamartins.blogspot.com. Não comento a orquestração porque é indemonstrável o nexo: apenas a coincidência. Mais além, entramos na explicação de Eduardo Cintra Torres sobre a SIC.

Quem viu a peça do jornalista Lourenço Medeiros não viu apenas a malícia ostensiva e o enviesamento: viu a mentira.

Revelei três assuntos no que chamei o Dossier Sócrates, como quem é jornalista devia saber e não tem desculpa em publicar ao contrário: que Sócrates não é engenheiro, nem nunca foi, como se intitulava; que não é pós-graduado em Engenharia Sanitária; e que obteve a licenciatura na Universidade Independente da forma como obteve.

Sobre estes três factos, o PM nada se queixou. Queixou-se do que escrevi sobre o MBA (referia-me ao grau...); e ao facto de eu ter dito num post que havia um "centro governamental de comando e controlo dos media"...

O Ministério Público arquivou e notificou Sócrates para deduzir acusação particular. Não o quis fazer.

Agora, comparem-se estes factos - factos, factos, factos - com a acusação maldosa do meu blogue e de mim próprio pelo jornalista e SIC. Diria o outro engenheiro: "é a vida!..."


De Paulo Querido a 30 de Maio de 2008 às 23:38
Caro António, já li umas boas dezenas de reacções a este assunto e nenhuma é tão parecida com a atitude de Miguel Sousa Tavares como a sua.
Ambos perspectivam o assunto não pelo assunto, mas pelo óculo dos vossos casos pessoais.
No óculo de MST, a blogosfera existe para o caluniar, e às pessoas importantes e como tal indefesas perante os monstros anónimos.
No seu óculo, este episódio não serve para mais do que uma nova reprise do seu filme sobre as habilitações, ou falta delas, do Primeiro Ministro.
No fundo, ambos têm razão. O mundo não passa de uma cabala contra vós.
Não vale a pena dizer-lhe que não, o programa não foi feito cntra si, nem ninguém se lembrou de si. O programa foi mau, muito mau, mas decorreu de outras razões.
O aproveitamento que você e José Maria Martins tentam fazer agora, colando um exemplo de pura ignorância a uma situação "política", é -- na minha modesta opinião -- grotesco.
Você faz-me lembrar Manuela Ferreira Leite, mas em pior. Ao menos a tecla dela, a da "credibilidade", é fresca.


De Pedro Sales a 31 de Maio de 2008 às 00:51
Exacto, Paulo. O programa foi todo ele imprestável, revelando a impreparação do jornalista sobre os temas que abordou (dos comentadores nem vale a pena falar). Não há nenhuma orquestração da SIC contra o autor do blogue profundo, apenas a vontade do jornalista em provar que a calúnia na blogosfera fica impune , nem que apresente um caso que chegou mesmo a ser apreciado pela Justiça e que o MP julgou como fazendo parte do direito à liberdade de expressão do autor. Os exemplos apresentados pela peça têm sempre um exemplo denominador mínimo comum: provam o contrário do que é anunciado na reportagem.


De Paulo Querido a 31 de Maio de 2008 às 01:03
Pedro, sugiro o seguinte exercício: vejam as peças jornalísticas só por si, a do Lourenço (MST), a seguinte (a rapariga do biquini) e a final (reacções dos populares já ao programa). Depois, vejam os comentários dos analistas em estúdio. Notem de passagem a atitude do pivot, que é quem efectivamente conduz aquele barco para o naufrágio (e se eu tenho boa impressão do Rodrigo! isto até me confrange um bocadinho)
Como dizes em relação às peças, os exemplos provam o contrário do que é anunciado no programa. Há ali dois "corpus": as reportagens e o estúdio.


De JOÃO ABEL CARREIRA a 31 de Maio de 2008 às 22:28
PORRA QUE A COISA ESTÁ ...PRETA! ESTA GAJADA DAS SICS /TVÍS/RTÊPÊS... QUEREM À FORÇA "construir-nos"/"rebocar-nos"/levar-nos pró redil... encarneirados e AGORA QUE O PAPÃO COMUNISTA ESTÁ MAIS QUE MORTO VÁ DE "AFIAMBRAR " NOS BLOGS COMO OS NOVOS VILÕES E SEMEADORES DA CALÚNIA ... PERGUNTO EU : então - como - é - que - a malta- ia- sabendo- das - "porcarias"- desfaçatezes- vilanias-este- fartar - vilanagem -dos poderes-constituídos- se não fosse a blogesfera?... REALMENTE, TODA A ATENÇÃO É POUCA P'RA FUGIR ÁS "MONTAGENS" DESSES PSEUDO- JORNALISTAS(?) E COMENTADORES -que ,invariavelmente, nos entram pela casa adentro na TENTATIVA DE NOS MOLDAREM E SOBRETUDO - ESCRAVIZAREM A ... CABECINHA! PARAFRASEANDO A ANEDOTA : "MENOS A MINHA ,PORRA!"
O UMBIGO DE JUDAS


De Ana Matos Pires a 2 de Junho de 2008 às 00:26
Pedro, não resisto a salientar também o Ps da Shyznogud (http://womenageatrois.blogs.sapo.pt/823348.html)
" É superior a mim, não consigo deixar de falar nos muuuuuito ilustrativos exemplos que Rodrigo Guedes de Carvalho usou para fazer passar certas mensagens: é o casal que se filma a fazer sexo e quando se zangam ELE põe a coisa na net. É um caso de infidelidade e é, claro, a MULHER que descobre a infidelidade virtual do marido sacando-lhe as passwords. São as MENINAS do hi5 que se expõem e se oferecem. Windo, windo, windo..."


De Citadina a 3 de Junho de 2008 às 16:10
Também devíamos ter pena, muita pena, do Francisco Moita Flores por se ter posto a dar ares de superioridade moral e social referindo-se aos bloggers como pessoas que padecem de uma solidão profunda e outras perturbações mentais...
Esse senhor não terá a noção do ridículo?
Quer dizer, fazer uma figureta daquelas em horário nobre, em directo...
Coitado, há humilhações que perseguem as pessoas para o resto da vida, mas se calhar esta era escusada, digo eu...


De Anónimo a 22 de Junho de 2008 às 13:50
Concordo. Mas do Dr. Moita Flores já se espera tudo. Trata-se de uma figura patética que gosta de opinar sobre tudo sem saber nada. Muito pouco deve ter que fazer enquanto Autarca ou não teria tanto tempo disponível para ser "comentador da treta".


Comentar post

Zero TV
ZERO DE CONDUTA
Filipe Calvão

José Neves

Pedro Sales

Vasco Carvalho


zeroconduta [a] gmail.com
Indecisão 2008
Subscreva
Zero links
arquivos

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Feeds