Comentários:
De PALAVROSSAVRVS REX a 26 de Maio de 2008 às 17:40
Via a reportagem na TVI. A mim pareceu-me um Peugot. Vamos lá deixar de ser maquiavélicos para marcar um pontinho.

PALAVROSSAVRVS REX


De Pedro Sales a 26 de Maio de 2008 às 23:48
O carro actual do Paulo Portas é um WW Tuareg, o jaguar foi o que o tornou famoso no passado. O Peugeot deve ser um carro do partido, de outro dirigente, ou alugado.


De RJ a 27 de Maio de 2008 às 01:51
Nos últimos meses trabalhei a 10 km de Espanha, mais precisamente na Amareleja. Gastava depósito e meio semanalmente, o que dava mais ou menos uns 60-65 litros.
A diferença de preço entre a Sem chumbo 95 e a Sin Plomo 95 manteve-se em valores à volta de 30 cent por litro, o que me permitia poupar cerca de 20€ por semana.


De Paulo Mouta a 27 de Maio de 2008 às 04:26
Porquê? Simples. É que os seus amigos são precisamente aqueles que muito dinheiro ganharam à custa das clínicas que faziam abortos ilegalmente. Aliás, o "não" nunca foi realmente religioso mas sim económico. É como o negócio da droga... quanto mais se pribe mais alguns enriquecem.


De AAC a 27 de Maio de 2008 às 11:02
Ora aqui está a pura demagogia:

"PS:Curiosamente, enquanto defendeu uma lei que levava milhares de mulheres portuguesas a Badajoz para abortar, nunca vimos Paulo Portas preocupado com o enriquecimento do país vizinho. Vá-se lá saber porquê."

Até parece que quem está a fazer dinheiro não é a Yolanda da Clinica dos Arcos. Belo tiro, pá! Porreiro!


De Pedro Sales a 27 de Maio de 2008 às 21:55
Que, como é normal numa actividade legal, entregava o IVA às autoridades espanholas. Mesmo mais baixo que em Portugal, sempre são 16%. Não, não é nada porreiro, pá!


De AAC a 28 de Maio de 2008 às 10:51
IVA a 16%? Aonde? É uma actividade de medicina, isenta de IVA! E depois acciona a convenção para evitar a dupla tributação e etc e, conclusão, a Yolanda mete o dinheiro ao bolso! ´Tás a ver como é porreiro?


De antonio ferraz a 30 de Maio de 2008 às 01:50
foi precisamente esse senhor que nao quer enriquecer economias estrangeiras que no mes de Dezembro apanhou o mesmo aviao do que eu em Barajas/Madrid e saiu do mesmo cheio de saquinhos de compras. Nao trazia malas no "porão", deve ter sido só coisa (ou aproveitou para) fazer as comprinhas de Natal numas horinhas.


Comentar post