Segunda-feira, 26 de Maio de 2008
Tantos quilómetros e nem abasteceu o Jaguar

Paulo Portas foi a Badajoz, alegadamente para comprovar aquilo que já todos sabemos: os portugueses que vivem nas zonas fronteiriças vão abastecer a Espanha. Os portugueses sim, mas não o Paulinho da Repsol. Como não lhe chegava fazer gala do seu populismo mais demagógico, o líder do PP disse que se recusava a enriquecer Espanha e por isso não abasteceu o seu carro (o que até devia dar um jeitaço ao Zapatero, dada a genorosidade dos depósitos do Jaguar ou do WW Tuareg). Ora aí está, populismo, nacionalismo e um vago apelo xenófobo numa única acção. Paulo Portas está em forma, provando que a nossa direita é sempre a favor do mercado. Desde que ele esteja do lado certo da fronteira e, de preferência, conte com o guarda chuva protector do Estado e dos seus apoios fiscais.


PS:Curiosamente, enquanto defendeu uma lei que levava milhares de mulheres portuguesas a Badajoz para abortar, nunca vimos Paulo Portas preocupado com o enriquecimento do país vizinho. Vá-se lá saber porquê.


Etiquetas: ,

publicado por Pedro Sales às 15:12
link do post | comentar |

Comentários:
De PALAVROSSAVRVS REX a 26 de Maio de 2008 às 17:40
Via a reportagem na TVI. A mim pareceu-me um Peugot. Vamos lá deixar de ser maquiavélicos para marcar um pontinho.

PALAVROSSAVRVS REX


De Pedro Sales a 26 de Maio de 2008 às 23:48
O carro actual do Paulo Portas é um WW Tuareg, o jaguar foi o que o tornou famoso no passado. O Peugeot deve ser um carro do partido, de outro dirigente, ou alugado.


De RJ a 27 de Maio de 2008 às 01:51
Nos últimos meses trabalhei a 10 km de Espanha, mais precisamente na Amareleja. Gastava depósito e meio semanalmente, o que dava mais ou menos uns 60-65 litros.
A diferença de preço entre a Sem chumbo 95 e a Sin Plomo 95 manteve-se em valores à volta de 30 cent por litro, o que me permitia poupar cerca de 20€ por semana.


De Paulo Mouta a 27 de Maio de 2008 às 04:26
Porquê? Simples. É que os seus amigos são precisamente aqueles que muito dinheiro ganharam à custa das clínicas que faziam abortos ilegalmente. Aliás, o "não" nunca foi realmente religioso mas sim económico. É como o negócio da droga... quanto mais se pribe mais alguns enriquecem.


De AAC a 27 de Maio de 2008 às 11:02
Ora aqui está a pura demagogia:

"PS:Curiosamente, enquanto defendeu uma lei que levava milhares de mulheres portuguesas a Badajoz para abortar, nunca vimos Paulo Portas preocupado com o enriquecimento do país vizinho. Vá-se lá saber porquê."

Até parece que quem está a fazer dinheiro não é a Yolanda da Clinica dos Arcos. Belo tiro, pá! Porreiro!


De Pedro Sales a 27 de Maio de 2008 às 21:55
Que, como é normal numa actividade legal, entregava o IVA às autoridades espanholas. Mesmo mais baixo que em Portugal, sempre são 16%. Não, não é nada porreiro, pá!


De AAC a 28 de Maio de 2008 às 10:51
IVA a 16%? Aonde? É uma actividade de medicina, isenta de IVA! E depois acciona a convenção para evitar a dupla tributação e etc e, conclusão, a Yolanda mete o dinheiro ao bolso! ´Tás a ver como é porreiro?


De antonio ferraz a 30 de Maio de 2008 às 01:50
foi precisamente esse senhor que nao quer enriquecer economias estrangeiras que no mes de Dezembro apanhou o mesmo aviao do que eu em Barajas/Madrid e saiu do mesmo cheio de saquinhos de compras. Nao trazia malas no "porão", deve ter sido só coisa (ou aproveitou para) fazer as comprinhas de Natal numas horinhas.


Comentar post

Zero TV
ZERO DE CONDUTA
Filipe Calvão

José Neves

Pedro Sales

Vasco Carvalho


zeroconduta [a] gmail.com
Indecisão 2008
Subscreva
Zero links
arquivos

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Feeds