Comentários:
De Fernando Vasconcelos a 25 de Abril de 2008 às 18:03
A questão é que a vontade também (sobretudo) tem de partir deles (jovens). Não é país que tem de fazer por eles. Eles é que têm também de querer fazer pelo país. Mas é claro que numa geração que pensa que tudo vem empacotado e pronto a servir em que tudo se consegue sem esforço, lutar por qualquer coisa de melhor dá muito trabalho. É muito mais "fixe e cool" ser blasé e cínico e dizer que nada vale a pena que todos os políticos não prestam que a culpa é do governo actual e de todos os outros passados, que todos são iguais, do que fazer alguma coisa para mudar ... Os jovens tal como nós, têm exactamente o que merecem. Felizmente. Em democracia temos exactamente, e eles também, o que merecemos. Eles que estudem, lutem, façam qualquer coisa ... Ou seja por mais que existam razões que levem ao desinteresse este é em primeiro lugar da responsabilidade dos próprios ... acho eu.


De José Manuel Faria a 25 de Abril de 2008 às 21:53
Estou de acordo com o Fernando Vasconcelos. A maioria dos jovens não procuram ou não quer a política querem o mp3, o computador as mensagens do telemóvel. O curioso é que gostar ou ter as novas tecnologias não os impedem de quer e intervir. Noto que a maioria é mais individualista. O futuro está muito complicado para eles.


De Destaque do Dia a 25 de Abril de 2008 às 23:46
Foi bonita a festa, pá
fiquei contente
Ainda guardo renitente, um velho cravo para mim

Já murcharam tua festa, pá
mas, certamente
esqueceram uma semente nalgum canto de jardim

Sei que há léguas a nos separar
tanto mar, tanto mar
Sei também como é preciso, pá
navegar, navegar

Canta a Primavera, pá
cá estou carente
manda novamente algum cheirinho de alecrim


De Zapata a 26 de Abril de 2008 às 02:30
Pois é, Pedro Sales. Cavaco deu um exemplo de "qualidade" da democracia, ao elogiar o pequeno tirano fascistóide Alberto João e ao posicionar-se contra a realização do referendo. Mas que exemplo perfeito de qualidade democrática!
Onde está o Wally, sr. Silva?


De A.Silva a 26 de Abril de 2008 às 11:21
Quando Cavaco disse que a culpa era da classe politica eu entendi que ele se estava a incluir,não faz sentido que ele que exerceu funções politicas durante tanto tempo possa estar isento da sua culpa.Mas mais que procurar os culpados é urgente pensar como podemos enfrentar esta situação.Até agora os resultados dos alunos da escola pública falam por si,desde 2000 não conseguimos alterar nada em relação a essa situação.E o nosso grande problema é mesmo a falta de qualificação dos portugueses porque sem isso não conseguimos resolver todas as outras dificuldades.Na nossa sociedade é pouco valorizada a importancia da aquisição dos conhecimentos,do estudo ao longo da vida,do trabalho rigoroso e esforçado da procura do saber.


De JC a 26 de Abril de 2008 às 14:01
Eu confesso que não fiquei impressionado com a ignorância de Sua Excelência sobre a juventude. Afinal de contas esta juventude é o produto de uma desastrosa política de educação, da qual Sua Excelência é um dos principais responsáveis. Já agora gostava que Sua Excelência não gastasse o meu dinheiro para pagar estudos que o impressionam. Prefiro que o gaste em viagens, como a última que fez à Madeira. Sempre viu a obra. E o Alberto João. E não viu a pobreza (a Maria não acredita em estudos do ISCTE). E suponho que também não tenha falado com os jovens. Em quase 3 anos de mandato, Sua Excelência já alguma falou com os jovens? Como jovem, diria que é impressionante a forma como os políticos, começando por Sua Excelência, ignoram os jovens -e não preciso de nenhum estudo para escrever isto. Não tivesse Sua Excelência tão boa imprensa e muitos mais diriam o que disse o MST .


De mariadosol a 26 de Abril de 2008 às 22:24
Convém recordar que a história também é de curto prazo... Alguém que lhe recorde o que foi a política da educação durante o seus 10 anos como primeiro ministro. Mais vale tarde do que nunca? E entretanto aprendeu umas coisas? Pois sim... Mas é bom qu ese realce que estes "pragmáticos" de meia tigela mal têm vagar de ler uns livritos parecem Madalenas (mal) arrependidas...
:))


De MFerrer a 27 de Abril de 2008 às 01:32
O cavalheiro está a necessitar de qq coisa para memória.
É que há apenas uns dias ficou amnésico na Madeira.
Entretanto, diz, mandou fazer um estudo à nossa custa. OK. tudo bem. Que estude!
Mas pergunto-me se foi só no contnente ou se incluiu a esclarecida e iluminada juventude da Madeira ?
É que se lá a democracia não está um brinco, há algo que me escapa...
Disgusting !


De Mania a 27 de Abril de 2008 às 05:33
Esta coisa de se andar sempre a dizer mal dos jovens, já me chateia. Na minha geração já diziam o mesmo, e nas subsequentes idem, idem (nas anteriores não me lembro, porque sou muito inculta, de outra forma lembrar-me-ia!). Querem lá ver que a culpa de que a Madeira continue uma pequena ditadura é dos jovens? E que a culpa do Cavaco e do Gama, e outros da família, irem à Madeira elogiar a ditadura, é dos jovens? E que o facto do tratado europeu afastar os centros de decisão dos povos, é dos jovens? E o facto de não ter havido referendo a esse tratado é culpa dos jovens? Os jovens hão-de "cultivar-se" a seu tempo... os badamecos que se arrogam de conhecedores e de "governadores",esses, são a nossa sacro-ignorância e o nosso desgoverno!


De Núcleo de aluns de Ciência Política ISCT a 27 de Abril de 2008 às 12:38
Será giro ver o que as Jotas portuguesas têm a dizer sobre isto...

http://politicanacp.blogspot.com


Comentar post