Comentários:
De José Manuel Faria a 14 de Março de 2008 às 12:50
Uma entrevista fraquinha . Uma seca. E o telefonema ao Zé Luís!

Vamos ver hoje o menezes.

O Jerónimo, o Louça e o Portas passará na RTP1.


De IF a 14 de Março de 2008 às 13:33
Risível. É o adjectivo que me ocorre para caracterizar a reportagem de ontem da SIC.
Um dos meus momentos favoritos também é o telefonema a Zapatero. "Compañero", dizia Sócrates ao telefone e aquela intimidade causava-me repulsa, como se fosse encenada.

Eu desconfio que seja mesmo uma peça encomendada, nem que seja para limpar a imagem de primeiro-ministro frio e insensível à necessidade de dignidade social nas suas políticas de contenção orçamental. Não foi por acaso que uma das frases mais ouvidas foi: "eu não insensível" a isto, ou aquilo...

Ri-me com gosto também quando Sócrates diz que a sua maior qualidade é ser generoso e quando exclama (muito surpreendido com a sua espontaneidade!!) que Raquel Alexandra o levou a relevar a sua maior qualidade e o seu maior defeito.

Haja paciência para a SIC a agir como agente saneador da imagem destes senhores (hj parece que é a vez de Menezes... ainda vai ser melhor!).


De Carlos a 14 de Março de 2008 às 17:15
Português que se preze faz logo um filme :) ha ha


De Calgonite a 14 de Março de 2008 às 18:35
Pois é cá um filme, nisso não haja qualquer dúvida.

Filme muito fraquinho, aliás!

"Quando eu era pequenino, quando eu era pequenino...
Ainda mal sabia andar, ainda mal sabia andar"...

Que se veja ao espelho logo pela manha é o que recomendo a sua Excelência o Senhor Primeiro Ministro.



De José Manuel Faria a 14 de Março de 2008 às 22:28
Menezes hoje esteve melhor que Sócrates. Pareceu mais sincero.


De Olavo César a 15 de Março de 2008 às 15:23
o Pedro Sales nem coloca a hipótese de a pastelaria ter um relógio parado. A má-fé contra os govvernantes tem limites!!


De Pedro Sales a 15 de Março de 2008 às 17:06
Caro Olavo,

O relógio não está parado. Nas primeiras imagens que se vêm da pastelaria, o relógio marcava 10h50. As últimas em que se vê o relógio este marcava 10h55. Pode não estar certo, mas parado não está. Em todo o caso, o meu interesse não é a hora a que começa a trabalhar o primeiro-ministro, mas a encenação deste tipo de "reportagens" que visa mostrar o lado humano dos entrevistados.


Comentar post