Sábado, 8 de Março de 2008
achas que há problemas sérios por resolver em Portugal? ainda não viste nada.

Armando Gama -wonderful plumage- e o rock progressivo dos Tantra nos anos 70.
Directamente de onde ninguém partiu.

publicado por Vasco Carvalho às 04:38
link do post | comentar |

Comentários:
De Paulo Mouta a 9 de Março de 2008 às 02:05
Não percebo a intenção deste post ...

No entanto tenho de relembrar (para os que viveram a época) ou dar a conhecer (aos que felizmente ainda são demasiado jovens para terem vivido o auge do rock progressivo) que os Tantra, mesmo com a presença do extraordinário instrumentista chamado Armando Gama, foram de longe a melhor banda portuguesa de sempre, e também a que teve uma maior e melhor projecção internacional no universo específico do rock progressivo. O álbum (hoje já nem sequer existe bem este conceito) genial que foi o "Holocausto" foi, sem sombra de dúvidas o que de melhor alguma vez se produziu neste país a nível musical.

Deve dar-se aos ouvintes a mesma possibilidade que se dá aos manifestantes, a de pensarem pelas suas próprias cabeças. Estes trabalhos estão publicados e podem ser adquiridos ou mesmo ( que me perdoem os músicos mas tem de ser ) sacados da internet. Não custa ouvir do princípio ao fim e depois emitir uma opinião. De resto os Tantra não foram os únicos no panorama do rock progressivo em Portugal e infelizmente não foram os únicos que produziram depois músicos que vieram a desviar-se para o pior dos caminhos festivaleiros e pirosos da música nacional. O mesmo aconteceu com o José Cid do qual se devem ouvir sem preconceito os trabalhos ao serviço do Quarteto 1111 e também o fabuloso álbum editado em seu nome com o título "10000 anos entre Vénus e Marte".

Num país que hoje promove à categoria de músicos e de música lixo com os Da Weasel ou Buraka Som SIstema (é assim?), aí sim, se achamos que há problemas é porque ainda não vimos nada... cotonetes são sempre bem vindos...


De bloom a 9 de Março de 2008 às 09:47
Estes jovens sabem pouco... grande Manuel Cardoso e grande som!


De RJ a 9 de Março de 2008 às 17:49
O Progressivo sofreu um bocado com o Punk e com o Pop-rock foleiro dos anos 80. Desde meados dos anos 90 que renasceu, muito associado a bandas de metal que incorporaram na sua sonoridade elementos progressivos, desde a tecnicidade do jazz a sintetizadores e aos concept-albuns.

Uma boa parte dos novos fãs de progressivo (entre os 20 e os 30 anos) estão ligados ao metal de certa maneira (onde eu me insiro).

Basta ir ao Progarchives.com e clicar na categoria "Progressive Metal" (e ver por exemplo Opeth, Atheist, Ayreon, Dream Theater, Therion, etc...)


De Paulo Mouta a 10 de Março de 2008 às 02:51
Exactamente, muito embora o Rock Progressivo não esteja confinado hoje ao Metal Progressivo, muito pelo contrário. Através da internet renasceu o movimento que leva mesmo à criação de uma associação e à realização de alguns eventos conhecidos internacionalmente, muito embora não tanto a nível nacional, como o GAR (Gouveia Art Rock). É um festival que tem trazido grandes nomes internacionais do género. E este ano não vai ser excepção. Aliás, promete mesmo ter o melhor cartaz de sempre. Ver informação em http :/ www.gaudela.net gar .



De RJ a 10 de Março de 2008 às 20:36
Eu queria ir ver os Van der Graaf Generator e já não há bilhetes! :(

O ano passado não deu para ir lá mas ainda consegui ver o Robert Fripp e a League of crafty guitarmen em Coimbra.

(estive a dois metros de uma lenda do rock, pena ter-me esquecido dos meus álbuns de king crimson para ele assinar)


Comentar post

Zero TV
ZERO DE CONDUTA
Filipe Calvão

José Neves

Pedro Sales

Vasco Carvalho


zeroconduta [a] gmail.com
Indecisão 2008
Subscreva
Zero links
arquivos

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Feeds