Quinta-feira, 28 de Fevereiro de 2008
O frete
Não deixa de ser engraçado ver todos aqueles que, num passado bem recente, propuseram o fim da contribuição estatal para a RTP defenderem agora o fim da publicidade no canal público. O argumento é sempre o mesmo. Se a RTP não presta nenhum serviço público e a sua programação não se distingue em nada da concorrência privada, então que se corte a torneira ao seu financiamento.Quem assim fala, como é evidente, nunca passou os olhos pela programação da SIC e TVI. Senão vejamos a variedade da oferta dos 3 canais, no horário nobre, para a próxima semana.

Depois dos noticiários, tudo o que a SIC e TVI nos têm para apresentar é o humor inqualificável dos Malucos do Riso e Batanetes e 3 horas diárias de telenovelas. Entre a meia-noite e a uma da manhã lá começam as séries ou os filmes. A RTP, por seu lado, apresenta-nos um concurso diário, filmes às 23 horas, programas de debate como o Prós e Contras, Bastidores do Poder e o de Maria Elisa, e os comentários de Marcelo ou António Vitorino. Pelo meio ainda têm a série de reconstituição histórica, Conta-me como Foi e várias séries de produção nacional, como a que passou no centenário do Regicidio.

A RTP podia ser melhor? Claro. É igual aos privados. Não, claro que não. Se querem acabar com a televisão pública, ou reduzi-la a um papel residual como a PBS norte-americana, que o digam. Tudo o resto, não parece passar do preconceito do costume contra tudo o que é público e a frete aos canais privados.  


publicado por Pedro Sales às 16:53
link do post | comentar |

Comentários:
De José Manuel Faria a 28 de Fevereiro de 2008 às 19:13
Os comentários de Marcelo ( já esteve na TVI) e Vitorino ( propaganda ao governo). A RTP pouco difere das privadas. E estão os mesmos a ganhar milhares há tantos anos. As notícias são as mesmas.

o 2º canal estatal chegava.


De Gabriel Silva a 29 de Fevereiro de 2008 às 09:58
« Não deixa de ser engraçado ver todos aqueles que, num passado bem recente, propuseram o fim da contribuição estatal para a RTP defenderem agora o fim da publicidade no canal público.»

não vejo que o psd tenha sido favorável alguma vez ao «fim da contribuição estatal». Infelizmente.
Pelo contrário, ainda há 4 anos recriou a «contribuição para o audiovisual» que tinha sido extinta 10 anos antes e que é um imposto que arrecada junto dos contribuintes 70 milhões de euros todos os anos.
Também o mesmo psd foi quem fez uma susposto «plano» de recuperação financeira da rtp, pela qual foram injectados centenas de milhões de euros por via de aumentos de capital....

Para os que acham bem a existencia de uma tv do estado, pergunto se não veem nada de mais útil e necessário onde gastar, anualmente, 300 milhões de euros de impostos.
E se sim, que comparem tal valor com o orçamento de todo o sistema de justiça (500 milhões), com o da cultura, com o do ambiente etc., etc. Se entendem que vale a pena gastar em cada legislatura 1200 milhões de euros, vou ali e já venho.....


De Pedro Sales a 29 de Fevereiro de 2008 às 16:49
Caro Gabriel,

1. Reconheço que o post está muito pouco claro nos seus destinatários, neste caso o editorial de ontem de José Manuel Fernandes, mas também Luís Delgado e um sem número de colunistas que defenderam o fim das compensações financeiras à RTP.

2. Ninguém paga 300 milhões de euros anuais à RTP. As indemnizações compensatórias andam à volta dos 150 milhões e a taxa são 70 milhões...para a RTP e RDP. Para além do mais, esse valor deverá diminuir, uma vez que grande parte ainda tem a ver com a amortização do enorme passivo que a RTP ia acumulando até há uns anos e as contas, nos últimos anos, têm entrado nos eixos. (mérito de Almerindo Marques e Morais Sarmento, reconheça-se).

3. A RTP tem limitações legais mais restritivas do que os canais privados no que diz respeito aos tempos de publicidade que pode ter. É normal que seja compensada por isso.

4. O serviço público de televisão em Portugal nem é dos mais caros. Aqui ao lado, em Espanha, o estado entrega anunalmente mais de 600 milhões de euros...o mesmo que o português gasta com a RTP numa legislatura.


De Manuel Leão a 28 de Fevereiro de 2008 às 19:36
O único canal privado que se pode comparar à RTP é a "SIC Notícias". Só que não é em canal aberto.
Querer uma RTP totalmente dependente do orçamento, é bom para quem a quer controlar.


De Budos a 29 de Fevereiro de 2008 às 12:32
Muito bom post. Eu até me arriscaria a dizer que a RTP é a melhor televisão pública europeia.


De Budos a 29 de Fevereiro de 2008 às 12:36
Só agora li o comentário do Gabriel. Se é como ele diz, dá que pensar de facto.


Comentar post

Zero TV
ZERO DE CONDUTA
Filipe Calvão

José Neves

Pedro Sales

Vasco Carvalho


zeroconduta [a] gmail.com
Indecisão 2008
Subscreva
Zero links
arquivos

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Feeds