Terça-feira, 24 de Julho de 2007
A terrível opressão da família real espanhola
Vai uma grande indignação no Corta-Fitas com o sequestro, por ordem judicial, da edição de uma revista satírica espanhola porque esta decidiu fazer humor com a família real do país vizinho. Não é que o João Távora e o Luís Naves estejam muito preocupados com a lamentável diminuição da liberdade de expressão. Não, o que os une nesta indignação comum é que andam para aí uns “opinadores [que] não pensam na liberdade do príncipe” e que parecem defender a "infame" caricatura.

Sucede que a liberdade de expressão não foi feita para defender os comentários anódinos e inconsequentes, nem para garantir que, aqueles que pensam o mesmo que nós ou que a maioria da inteligentzia, tenham o direito de o fazer. Acredito que não gostem da brincadeira, mas também não é suposto que tenham que gostar de tudo o que é publicado e editado. A liberdade de expressão é isso mesmo. Garantir que, por muito idiota ou obsceno que seja, todos têm a liberdade de o dizer, escrever ou caricaturizar.

O João Távora, quem sabe a ver outra vez o lobby gay e jacobino por detrás desta sórdida orquestração contra a monarquia, diz que já está conformado com as “mais impunes e gratuitas provocações à minha fé e outras causas desalinhadas”. Todos nós nos indignamos com a terrível opressão vivida no nosso país pelos crentes católicos e condoemos com a liberdade ameaçada do príncipe Filipe. Ainda se fosse para gozar com o Maomé, esse infiel, que teve uns adoradores seus a conspurcarem o território da sagrada família durante uns séculos, ainda vá que não vá. Agora, com a monarquia espanhola, todo o respeitinho é pouco. O pior, nestes casos, é julgarmos que só há fundamentalistas do outro lado do mediterrâneo.

publicado por Pedro Sales às 00:54
link do post | comentar |

Comentários:
De L. Rodrigues a 24 de Julho de 2007 às 14:51
Confesso que ainda não percebi o que ofende, afinal.
Se a sugestão de que os principes das Asturias experimentam outras posições que não a do missionário, ou a sugestão de que ele nunca trabalhou na vida.


De João Távora a 24 de Julho de 2007 às 10:40
Caro Pedro: A palavra "terrível" escreve-se com dois r’s


De Pedro Sales a 24 de Julho de 2007 às 04:49
MJP,

Não se precipite e leia as entradas com atenção. Os links estão lá todos e o do João Távora (caso não chegue lá pelos links, foi escrito no domingo, 22).

Mas, já que fala nisso, repare como é que começa o texto que refere do Luís Naves. "O João Távora já mencionou aqui o tema da caricatura “infame” do príncipe herdeiro espanhol."

Ora aí está, o texto que não encontrou até abre o texto que encontrou, mas eu estou a mentir quando digo que ele existe.

Não sei se por distracção, ou má fé, continuo a encontrar a citação no texto do Luís Naves que você não encontra. Veja lá que até é a abertura do segundo parágrafo. Para o caso de não encontrar (novamente) aqui fica a sua transcrição integral:

"Claro que estes opinadores não pensam na liberdade do príncipe. Na liberdade de poder partir o focinho ao engraçado que o desenhou a ele (Felipe) e à sua esposa, numa circunstância que qualquer um de nós acharia “infame”, se fosse connosco. Aliás, os comentadores nunca pensam: “e se fosse comigo e com aqueles que eu amo?”

Onde é que está a desonestidade? Tudo correctamente citado e linkado. Leia melhor antes de fazer conclusões precipitadas.


De MJP a 24 de Julho de 2007 às 02:50
Uso aminha liberdade de expressão para dizer que é desonesto o que aqui se escreve.
Primeiro é mentira que exista debate sobre o tema no referido blog. Hoje, dia 24 de Julho, e até agora 2h 45 (madrugada) há um post que é do Naves.
Concluo afirmando que as expressões entre aspas não constam do referido post e é o único existente sobre o tema.
Prestam um mau serviço à causa que defendem, seja ela qual for, porque apoiantes conquistados com mentiras só servem causas que não arranjam apoiantes de outra forma.
Pode gozar à vontade já que parece ser a única forma que conhece de se opor a ideias diferentes. Estou onde não me atinje.


Comentar post

Zero TV
ZERO DE CONDUTA
Filipe Calvão

José Neves

Pedro Sales

Vasco Carvalho


zeroconduta [a] gmail.com
Indecisão 2008
Subscreva
Zero links
arquivos

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Feeds