Quarta-feira, 17 de Outubro de 2007
Não havia necessidade
Poucas propostas são mais significativas sobre o continuado disparate que vai ser a liderança de Luís Filipe Menezes do que as suas propostas para a elaboração de uma nova constituição e a extinção do Tribunal Constitucional. Posto isto, não se compreende que o Tribunal Constitucional tenha decidido responder à intervenção de Menezes. Por muita razão que o presidente do TC tenha nos reparos que faz ao líder do PSD, deveria perceber que, dado o cargo que ocupa, era a última pessoa que podia responder às propostas de um partido político. Ao entrar desta forma no debate partidário, a única coisa que conseguiu foi dar uma “borla” a Menezes e permitir que o mesmo continue a proclamar o carácter politico e partidário do actual Tribunal Constitucional. Desta vez com alguma razão.

publicado por Pedro Sales às 17:18
link do post | comentar |

Comentários:
De Pedro Sales a 17 de Outubro de 2007 às 19:38
jmmtc ,

Há muitas formas de o fazer. Não tinha que ser o presidente do TC a afirmá-lo e a entrar, dessa forma, directamente no meio da polémica.


De jmmtc a 17 de Outubro de 2007 às 19:26
E porque não haveria o TC, como órgão de soberania, repôr a verdade quando se veículam ideias, argumentos e pressupostos falsos sobre ele próprio e as suas decisões? Deixar a coisa andar, como é hábito? até uma inverdade passar a verdade por demais ser repetida?


Comentar post

Zero TV
ZERO DE CONDUTA
Filipe Calvão

José Neves

Pedro Sales

Vasco Carvalho


zeroconduta [a] gmail.com
Indecisão 2008
Subscreva
Zero links
arquivos

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Feeds