Comentários:
De Paulo Mouta a 26 de Outubro de 2007 às 00:08
... ou como um boato se pode tornar na maior estória, ou antes anedota da vida judicial da lusolândia.


De Anónimo a 25 de Outubro de 2007 às 17:40
Asco, nojo, repugnância, tudo o mais que se possa dizer é pouco perante esta escandaleira descomunal...


Os que acreditam nele, devem ir parar ao Inferno!


Se possível, ainda bem antes de morrerem...


Comentar post