Quarta-feira, 17 de Outubro de 2007
Disparamos primeiro, manipulamos depois
O juíz que está a julgar a autoridade policial de Londres pelo assassinato de Jean Charles de Menezes, no metro da capital britânica em 2005, considerou que a fotografia apresentada pela polícia ao tribunal foi propositadamente forjada e manipulada para justificar a semelhança física entre o electricista brasileiro e o terrorista Hussain Osman.

publicado por Pedro Sales às 19:12
link do post | comentar |

Comentários:
De busilis a 19 de Outubro de 2007 às 20:33
Eu cà, neste post o que me idigna,è precisamente a puta da pinta no i...


De Anónimo a 18 de Outubro de 2007 às 16:17
Juiz não leva acento no i, raios. Assim como raiz, petiz, nariz, codorniz...

Que mania de complicar.


De Manuel a 18 de Outubro de 2007 às 15:15
Não se podia esperar outra coisa de uma polícia de estrangeiros.
Não nesta escala, mas com alguma importância é a perseguição aos estrangeiros, perpetrada pelas Polícias de Imigração (como o nosso SEF), com base em legislação aberrante que lhes dá todo o poder discricionário, que se baseia na interpretação policial de conceitos difusos, abstractos e indeterminados.
E nem sou eu que digo. Basta perguntar a instituições como o CPR.


De xatoo a 18 de Outubro de 2007 às 14:17
as fotografias nunca foram consideradas como meio de prova pelos tribunais.
Até nisso "as autoridades instituidas" já conseguiram reverter a antiga legislação para manipular os tribunais?
O próprio acto em si de apresentar uma fotografia como "prova" já é ilegal


Comentar post

Zero TV
ZERO DE CONDUTA
Filipe Calvão

José Neves

Pedro Sales

Vasco Carvalho


zeroconduta [a] gmail.com
Indecisão 2008
Subscreva
Zero links
arquivos

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Feeds