Segunda-feira, 16 de Julho de 2007
A abstenção
A abstenção foi a grande vencedora da noite de ontem. Já se estava à espera que assim fosse, até pela data escolhida, mas não deixa de ser uma vergonha para os lisboetas que menos de 4 em cada 10 tenha ido votar - o que é o pior que se pode dizer sobre a campanha e os candidatos. O Verão é o culpado óbvio deste descalabro, mas convém não simplificar. O facto de, à direita, não existir nenhum candidato credível; a eleição ser só para o executivo e não envolver as juntas de freguesia; a existência de 12 candidaturas e a confusão que isso criou e o crescente desencanto e desconfiança dos portugueses com os partidos e a politica são outras das explicações possíveis para este recorde abstencionista.

Este último factor é, de longe, o dado mais significativo a reter. Existe hoje espaço para um discurso anti-sistema e anti-partidos que diz muito menos sobre o reforço da cidadania do que sobre os perigos que enfrenta a democracia. Não há democracia sem partidos, é verdade, mas isso está longe de querer dizer que esta seja propriedade privada dos esquemas de representação do poder personificados nas máquinas partidárias. Convinha que a classe politica - no seu todo, mas especialmente a que tem assumido posições governativas - emendasse a mão e evitasse os constantes tiros no pé a que se tem dedicado nos últimos anos. A excursão paga pelo partido socialista para encher o Altis de agitadores de bandeiras vindos da província é mais um sintoma, infelizmente, de que há muito boa gente com pouca vontade de aprender com esses erros. Ainda não apareceu um populista como Berlusconi, mas mais uns quantos exemplos destes e não há certezas adquiridas.

publicado por Pedro Sales às 22:59
link do post | comentar |

Comentários:
De Manuel Martinho a 17 de Julho de 2007 às 19:16
Boa tarde. Permita-me a correcção: "não deixa de ser uma vergonha", sim, mas não para os liboetas. Não deixa é de ser uma vergonha para os lisboetas que não votaram. Cumprimentos.


De Anónimo a 17 de Julho de 2007 às 12:32
Está na moda dizer mal dos partidos! Mas os partidos são compostos por conjuntos de pessoas e é aí que está o problema! O problema são as pessoas, que podem ou não estar filiadas em partidos!
Isto é uma falsa questão e um argumento utilizado por aqueles que querem retirar vantagens políticas da diabolização dos partidos!


De a 17 de Julho de 2007 às 02:47
Boa tarde!
Antes de mais,parabéns pelo blog!
Ainda por cima com um tema ligado ao dia-a-dia da maioria de nós!

Convido-o agora a visitar também a acrescentar o meu link à vossa barra de links laterais:

http://aguia-de-ouro.blogspot.com/

Obrigado!


Comentar post

Zero TV
ZERO DE CONDUTA
Filipe Calvão

José Neves

Pedro Sales

Vasco Carvalho


zeroconduta [a] gmail.com
Indecisão 2008
Subscreva
Zero links
arquivos

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Feeds