Terça-feira, 18 de Dezembro de 2007
Parem as máquinas. Salário mínimo impede patrões de pagar 200 euros a portugueses poupados e com av
A Juventude Popular diz que a fixação de um salário mínimo "atrasa a economia". "Este preço mínimo tem dois efeitos muito claros no mercado de trabalho: impedir de trabalhar quem estiver disponível para trabalhar por valor inferior a esse preço", diz. Exacto. É mesmo por isso que deve existir um referencial salarial mínimo: para conferir uma vida minimamente digna a quem trabalha e impedir a degradação do valor do trabalho. Dumping social, alguém no Caldas ouviu falar de dumping social?

Por outro lado, acrescenta o documento, a fixação de um valor mínimo "impede de operar todas as empresas e serviços que não tenham a capacidade de remunerarem aquele montante". Se não conseguem pagar, por um mês de trabalho, o mesmo que custa o arrendamento de uma qualquer casa em Lisboa ou Porto, então talvez esteja mesmo na altura de fecharem as portas.

"Não nos assusta o tradicional receio/argumento de que sem o salário mínimo as empresas irão pagar ainda menos", refere o comunicado, sublinhando que "o paradigma da competitividade baseada nos baixos salários já mudou". Em que ficamos? Mas, então, não existem empresas e serviços que não têm a capacidade "de remunerarem aquele montante"? É assim tão difícil escrever cinco parágrafos sem se contradizerem?

"Acreditamos na liberdade contratual entre empresas e funcionários sem que o Estado imponha um salário". Pois. E a mãe do Bruno Pidá acredita que ele é um menino de coro. Num país em que existem dois milhões de pessoas que, mesmo trabalhando, continuam pobres, declarações como estas são enternecedoras. O PP acredita. Que não lhes falte a fé.

PS: Também sobre o salário mínimo vale a pena ler o que dizem os ladrões de bibicletas, aqui e aqui.

publicado por Pedro Sales às 18:53
link do post | comentar |

Comentários:
De Anónimo a 18 de Dezembro de 2007 às 22:58
(Ah, e parece que o homólogo e homónimo português do presidente do conselho espanhol afirmou o objectivo de aumentar o salário mínimo português para metade do espanhol no mesmo horizonte temporal...)


De Anónimo a 18 de Dezembro de 2007 às 22:56
Que tal:

Parece que José Rodriguez Zapatero prometeu — ou estabeleceu o compromisso, ou tem como objectivo — aumentar o salário mínimo espanhol para nada mais que mil euros (o tal "salário máximo" dos populares)...

Isto quando o salário mínimo espanhol já é bastante maior do que o português.

E isto porque houve um governo socialista que escolheu ter um nível de desemprego elevado ao longo de um certo número de anos, em alternativa a continuar o subsídio indirecto à baixa produtividade.

Sim, não?


De JRV a 18 de Dezembro de 2007 às 22:28
Brutal... Quando julgamos que já ouvimos muitas barbaridades, esta irreverente juventude de direita consegue-nos sempre surpreender.


De TSL a 18 de Dezembro de 2007 às 22:05
É confrangedor a ginástica mental destes meninos 'pepes'. Conseguem elaborar contradições fantásticas. Tenho uma proposta: Paulinho contrata estes rapazes como assessores e vais ver que isso te sai a um preço irrisório. Tanta qualidade por uns míseros 10 euros e umas entradas grátis para o Passerele.


Comentar post

Zero TV
ZERO DE CONDUTA
Filipe Calvão

José Neves

Pedro Sales

Vasco Carvalho


zeroconduta [a] gmail.com
Indecisão 2008
Subscreva
Zero links
arquivos

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Feeds