Sexta-feira, 1 de Fevereiro de 2008
Ruído
O mesmo Governo que garantia não existir nenhum problema com a política da Saúde, e que tudo se resumia a um problema de comunicação, mudou de ministro. O discurso agora é que não fecham mais urgências sem alternativas. O contrário do que fez Correia de Campos. Mesmo assim, o Governo diz que a política se mantém.Incoerência? Recuo? Nada disso. Não perceberam? Deve ser mais um problema de comunicação.
Etiquetas:

publicado por Pedro Sales às 22:15
link do post | comentar |

Comentários:
De Nuno a 4 de Fevereiro de 2008 às 14:51
Pois eu senti-me enganado pelo governo........devido à saída do CC! A pior medida deste governo foi despedir o seu melhor ministro por manifesta falta de tomates perante a acefalia reinante!
Somos mesmo umas merdas, todos! Jornais, TVs, oposições e governo q cedeu às pressões(eleitorais)!
E gostava de saber qual a pseudo urgência q fechou sem alternativas!
Se a política da saúde do governo se mantiver já não está aqui quem falou!
No entanto e por falta de alternativas credíveis(Sousa, Louçã, Menezes e Portas é um panorama para por qq um a chorar!) este governo continua a manter a minha preferência!


De Paulo Mouta a 3 de Fevereiro de 2008 às 01:47
De boas intenções, estaria caso existisse, o inferno cheio O problema é que, com este tipo de medidas e desmedidas, o inferno é aqui mesmo.

É tudo uma questão de credibilidade. Temos boa fé perante aqueles que nos merecem essa credibilidade. Este governo só engana mesmo quem quer e gosta de ser enganado.


De st3veS. a 2 de Fevereiro de 2008 às 18:20
Epa isto é o governo a tentar começar a limpar a imagem, nada mais.


De aviador a 2 de Fevereiro de 2008 às 14:12
Jam
Não seja ingénuo. O que v.pensa é a interpretação das pessoas normais.
A INTERPRETAÇÃO de quem está de boa fé.

Pedro Sales está imbuído de partidarite!


De Jam a 1 de Fevereiro de 2008 às 23:37
Eu estou convencido que "a" política se mantém tal e qual. A política é a reorganização/racionalização do SNS, em traços muitos gerais. O que mudará é a forma como está é conduzida. Com Correia de Campos era "à bruta", sem precauções... Creio/espero que essa forma de conduzir essa política, de chegar a esse fim mude.


Comentar post

Zero TV
ZERO DE CONDUTA
Filipe Calvão

José Neves

Pedro Sales

Vasco Carvalho


zeroconduta [a] gmail.com
Indecisão 2008
Subscreva
Zero links
arquivos

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Feeds