Comentários:
De busilis a 10 de Setembro de 2007 às 17:38
Os grandes states vao agora trazer finalmente a democracia para a net.Aleluia Aleluia,ponham-se finos nao vao os vossos blogs ser considerados armas de destruiçao em massa...


De Pedro Sales a 9 de Setembro de 2007 às 01:58
Jam,

tem razão, mas repare que esta decisão é preocupante. Mais de metade do tráfego da net passa pelos EUA. Qualquer decisão que aí ocorra tem tendência para ser seguida no resto do mundo. Principalmente quando é o lucro das operadoras que está em causa e a hipótese de bloquearem modelos de negócio alternativos que escapem ao seu controlo. E não, nem é preciso alterar o contrato.


De Jam a 8 de Setembro de 2007 às 23:58
To be honest, essas ideias peregrinas não parecem ter qualquer eco fora dos EUA... e o resto do mundo é muito maior.

De qualquer forma, também não vejo como é que será possível às operadoras alterar milhões de contratos com a passividade dos utilizadores, diminuindo a real velocidade de acesso.

E ainda por outro lado, o futuro próximo passa pela IPTV, televisão de qualidade HDTV, por adsl, com ligações cada vez melhores...

Mas é de notar, Pedro Sales, que estas ideias já têm muitos anos... e as preocupações de páginas demorarem horas abrir e afins, são sobretudo argumentos desses tempos, em que as ligações eram, no geral, fracas. Hoje em dia já não é um argumento plausível. Aliás, hoje em dia, há-de reparar que raramente faz uso da totalidade da sua largura de banda e isso não se deve a qualquer restrição do seu operador, mas sim a limitações do lado que lhe manda a informação, que pode estar sobrecarregado, quer isso signifique pouca capacidade ou muitos utilizadores em simultâneo. São mesmo muito poucos os sites donde consegue fazer uso pleno da sua largura de banda... Um deles é certamente a Microsoft, sempre foi.


De Arrebenta a 8 de Setembro de 2007 às 17:33
Veja como Durão Barroso também já está a usar detergente biográfico, na "Wikipédia"...

http://asvicentinasdebraganza.blogspot.com/2007/09/o-ip-781300132.html#links


Comentar post