Quarta-feira, 26 de Dezembro de 2007
Cosmopolitismo de fachada
Até há poucos dias nunca tinha ouvido falar no nome. Parece que Cristina Areia é uma das vedetas das telenovelas juvenis da TVI. Talvez por isso foi convidada pela junta de freguesia para abrilhantar a festa de Natal das escolas de Alfama. A sua tarefa era simples. Anunciar o nome das crianças à medida que iam subindo ao palco receber umas prendas. Mas a Cristina é uma rapariga sensível e tradicionalista. Há nomes que lhe fazem espécie. A Bárbara Reis, no Público do passado sábado, conta como, em pouco tempo, a menina conseguiu insultar quase todas as pessoas presentes na festa:

- Hania! Ai credo, o que é isto? Ah, é indiana...Pronto, está bem.
- João bin[qualquer coisa]. Bin?! Será primo do Bin Laden. Cuidado, se calhar é melhor irmos embora.

- Ramona! Mas o que é se passa em Alfama? Que nomes esquisitos! Dantes era só Maria de Lourdes e Anas Cristinas, não era?

- Ana! Um nome normal, viva a tradição, viva!
- Regiane. O que passou pela cabeça destes pais?

Neste último ponto teve razão. O que passou pela cabeça de dezenas de pais para não se levantarem e interromperem este espectáculo degradante? Neste país dos brandos costumes, parece que os familiares das Anas Cristinas acham normal que alguém insulte e envergonhe em público uma criança porque não se chama Maria Albertina. O que não deve ter passado pela cabeça da Cristina Areia é que muitos deles nasceram no nosso país e são tão portugueses quanto ela, mas isso para o caso até é indiferente. Mais revelador é que esta vedeta da televisão é a voz de um país que se diz tolerante mas que se conforma com estas gratuitas demonstrações de xenofobia. Uma voz que tem autoridade e impunidade porque, à sua volta, todos se calam e encolhem. Os pais das Anas ou porque tiveram vergonha ou porque até acharam piada. Os outros, os pais das Ramonas e das Regianes é que me preocupa. Porque o seu silêncio é a mais violenta demonstração de como funciona o racismo dos pequenos gestos do dia-a-dia e de como este está interiorizado pelas suas vítimas. Ninguém se levanta porque não é suposto protestarmos numa casa que não é a nossa. É assim este Portugal natalício. Andamos o ano todo a tentar vender lá fora uma imagem de cosmopolitismo e modernidade, para, cá dentro, percebermos que o cosmopolistmo que aceitamos e toleramos se esgota nos Antónios, Marias e Silvas. Já agora, alguém podia explicar à Cristina que não se deve gozar com o nome dos outros. É que alguém pode olhar para o dela e reparar que Areias é nome de camelo. O que explica alguma coisa.

publicado por Pedro Sales às 15:29
link do post | comentar |

Comentários:
De Anónimo a 30 de Dezembro de 2007 às 17:22
Oh Diogo, pá! Que trampa de nome é esse? Nós os descendentes em linha recta dos primeiros habitantes da Península Ibérica chamamo-nos Gu Gu Dah Dah, Ong Pah e outros nomes do género. Que raio de nome amaricado é o teu? Vai mas é para onde os teus antepassados saíram (se calhar também descendes dos australopitecos). Era bem feito...
Vocês, os puristas das raças metem já um bocado de nojo.


De L. Antão a 30 de Dezembro de 2007 às 00:28
Bem Diogo, tenho que lhe dar razão: enquanto tivermos que assim discrimina é uma opção a ter em conta . Esconder as origens para não ser vítima de xenofobia é um grande exemplo de cidadania e liberdade e integração. O problema está no nome ou na cabeça de quem não permite a integração por causa de um nome? Se uma criança de origem asiática se chamar José integra-se mais facilmente na sociedade portuguesa e já agora o que devem os pais fazer com os apelidos?


De Diogo a 29 de Dezembro de 2007 às 19:34
Pois é vergonhoso é como é permitido ser dada a nacionalidade a estrangeiros desta forma. A imposição de nome portugueses é fundamental, até mesmo para permitir uma maior assimilação com a população portuguesa. Termos "portugueses" chamados Mamadu, Rachid, Regiane ou Ramona é um obstaculo à integração desses indívidos.


De Minerva McGonagall a 28 de Dezembro de 2007 às 22:40
Fico triste por ver tantas situações semelhantes a esta. Ainda ontem, iam-me matando por dizer que quantos mais brasileiros em Portugal, melhor. Eu digo que são simpáticos, ao contrário da esmagadora maioria dos portugueses, que não passam de trombudos, e sou logo atacada com o argumento de que são falsos. Mas o que eles são mesmo é mais bem educados do que os tugas. Todos nós temos as nossas tristezas, mas os outros não têm culpa disso. Nunca fui maltratada por um brasileiro. O mesmo não posso dizer dos portugueses...

Cheguei aqui através do arrastão, e gostei do blogue. Vou voltar.


De caramelo a 28 de Dezembro de 2007 às 10:10
Boa, João! E humilhar os putos deve ser o máximo da insult comedy. Aqueles pais devem ter ficado maravilhados com isso: épá, finalmente temos uma ganda comediante da insult comedy a ofender à séria e com classe!


De Pedro Sales a 27 de Dezembro de 2007 às 00:03
João,

Acredita mesmo nisso? É uma hipótese, e o abjeccionismo tem uma longa história, mas não foi feita por pessoas como a Cristina Areia, nem a sua plateia são crianças dos 6 aos 14 anos.


De João a 26 de Dezembro de 2007 às 21:37
Correcção. A senhora penso que é uma actriz de comédia e da revista. Não da melhor portanto, mas ainda assim uma comediante. Se calhar nenhum pai se ofendeu porque percebeu que a situação era apenas comédia. Conhece os 'Insult Comics' nos EUA? Veja um clip da Lisa Lampanelli para ver o que é ofender à séria e com classe:

http://www.youtube.com/watch?v=k7Sp24TlWAM&feature=related


De sucedâneo a 26 de Dezembro de 2007 às 18:23
E perguntamos nós: "actriz de novelas juvenis? Ainda por cima inculta e mal educada? O que se passou na cabeça destes pais?!"

"O areias é um camelo..."


De lord of the link a 26 de Dezembro de 2007 às 16:54
o link do público está quebrado. Não se arranja um clip disso?


Comentar post

Zero TV
ZERO DE CONDUTA
Filipe Calvão

José Neves

Pedro Sales

Vasco Carvalho


zeroconduta [a] gmail.com
Indecisão 2008
Subscreva
Zero links
arquivos

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Feeds