Segunda-feira, 3 de Dezembro de 2007
A estabilidadezinha do ministro Vieira
Somos os primeiros em qualquer coisa. Pena que seja o desemprego na zona euro. egundo o Eurostat são já 8,5 por cento, um aumento de 7 décimas em relação ao mesmo período do ano passado. E nem vale a pena falar do clima económico. Nos restantes países, o desemprego diminui de 7,8% para 7,2%. Devem ser as "boas notícias" de que falava Vieira da Silva há duas semanas. Há dois meses que Vieira da Silva vem insistindo na “estabilização” dos números do desemprego. Há dois meses que o desemprego quebra recordes históricos no nosso país. A disparidade entre os números oficiais nacionais e europeus, que seguem critérios idênticos em todos os países da UE, não pára de aumentar, mostrando como o governo alterou os critérios para “limpar” as estatísticas. Pena que exista essa chatice dos organismos europeus que vêm manchar o trabalho do engenheiro Sócrates e a "estabilidade" do ministro Vieira.

ps: Há pouco mais de dois anos, José Sócrates considerava que "sete por cento é a marca de uma governação falhada" e "de uma economia mal conduzida". Lembram-se?

Actualização: Afinal, o desemprego não aumentou em relação ao último trimestre. Os números que o Eurostat divulgou pela manhã estavam errados e a taxa de desemprego diminuiu dos 8,3% para 8,2%. São boas notícias, claro, mas que não escondem o essencial. Independentemente das variações sazonais, a taxa homóloga, que é a que verdadeiramente conta, regista um aumento do número de pessoas sem emprego: de 7,8% para 8,2%. E em contraciclo com os restantes países, onde o desemprego caiu bastante no último ano.

publicado por Pedro Sales às 17:10
link do post | comentar |

Comentários:
De Pina a 4 de Dezembro de 2007 às 19:37
Ou seja, segundo o Eurostat a taxa de desemprego aumentou mesmo, só que em vez de ser de 8,3 para 8,5 por cento, foi de 8,0 para 8,2 por cento. É que ao rever o valor de Outubro, também reveiu o valor de Setembro
Á de Moura Pina
http:/abrasivo.blogs.sapo.pt


De Pina a 4 de Dezembro de 2007 às 13:02
Os números publicados pelo Eurostat para a taxa de desemprego em Portugal são 7,9 por cento em Outubro de 2006, 8,3 em Abril de 2007, 8,1 em Maio de 2007, 8,1 em Junho de 2007, 8,0 em Julho de 2007, 8,1 em Agosto de 2007, 8,0 em Setembro de 2007 e 8,2 em Outubro de 2007. A flutuação tem a ver com a precaridade do emprego em Portugal.
Comparando o número de empregos do 3.° trimestre de 2006 com o número de empregos do 1.° trimestre de 2005, o Governo podia dizer que tinha criado 93 mil postos de trabalho mas, no fim do 1.° trimestre de 2007, 54 mil já tinham desaparecido. Agora, no 3.° trimestre de 2007, apareceram mais 106 mil comparando com o 1.° trimestre de 2005. Destes, no fim do 1.° trimestre de 2008, quantos vão sobrar? Aceitam-se apostas.
Á de Moura Pina
http://abrasivo.blogs.sapo.pt


Comentar post

Zero TV
ZERO DE CONDUTA
Filipe Calvão

José Neves

Pedro Sales

Vasco Carvalho


zeroconduta [a] gmail.com
Indecisão 2008
Subscreva
Zero links
arquivos

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Feeds