Sexta-feira, 19 de Outubro de 2007
Habituem-se
Entrevistado ontem na Sic Notícias, Carvalho da Silva garantiu que nunca tinha sido tão maltratado por um governante, em mais de 20 anos de relacionamento institucional, como na reunião de terça-feira com o primeiro-ministro. Goste-se ou não de Carvalho da Silva, não é difícil concordar que é uma pessoa educada e não me lembro de o ver cometer inconfidências publicas sobre reuniões privadas. Alguma coisa se terá passado, e, atendendo ao historial de ambos, não me custa nada acreditar que o primeiro-ministro tenha reagido “violentamente” às posições da CGTP sobre a desvalorização dos direitos sociais pelo Tratado.

A patologia é conhecida. Depois de seis meses a apertar as mãos dos “senhores” da Europa e do mundo, o enfado com a política e os protagonistas locais costuma atacar os governantes indígenas. O tédio, conjugado com a costumeira arrogância e a obsessão de Sócrates em estampar o nome de Lisboa no Tratado, está rapidamente a dar lugar aos piores sintomas de intolerância política. As manifestações ou são coisa de comunistas, ou são ignoradas e representam um sinal do "isolamento" da central sindical que junta 200 mil pessoas nem frente à cimeira europeia. Habituem-se, dizia, de forma premonitória, António Vitorino. A continuar assim, não me parece que por muito tempo.
Etiquetas:

publicado por Pedro Sales às 14:47
link do post | comentar |

Comentários:
De A. Castanho a 25 de Outubro de 2007 às 17:16
Por pouco tempo, Pedro Sales?!!


E os que vierem a seguir (Portas/Nobre Guedes; Menezes/Santana), serão mais ao seu gosto???


Concordo com o seu Artigo, excepto com a última oração. Este o beco sem saída para o qual a Oposição de Esquerda teima desastrosamente em atascar-se.


De Santa Paciência a 22 de Outubro de 2007 às 14:47
correcção:...e por onde andaram as uniões sindicais do resto da europa? Não foram convidadas ou não quiseram cá pôr os pés?


De Santa Paiência a 22 de Outubro de 2007 às 14:45
...e por onde andaram as uniões sindicais do resto da europa? Não foram convidadas ou quiseram cá pôr os pés?


De Anónimo a 21 de Outubro de 2007 às 21:39
lino josé...se dúvidas houvesse sobre a natureza deste governo aqui estava o postal indicado!


De Pedro Sales a 21 de Outubro de 2007 às 19:47
Lino,

De acordo com os seus comentário, deduzo que também considere uma fraude as pressões que os grupos empresariais, comerciais, igreja e demais coorporações fazem junto do governo. Não dão tanto nas vistas, mas temo até que sejam mais eficazes.


De Paulo Mouta a 21 de Outubro de 2007 às 03:00
Caro Lino, nada contra. É evidente que tem de ser assim. O governo foi eleito para governar e é esse o seu papel não devendo ceder a pressões. De acordo. Contudo o governo foi eleito com um programa e está a realizar outro completamente diferente. E isso é pertinente pois se ele tivesse dito desde o início quais eram os seus planos e não tivesse mentido provavelmente não teria sido eleito, ou pelo menos da forma que foi. Ok, foram circunstâncias especiais. Mas nesse aspecto nada contra. Nas eleições é que vamos ver a real situação do contentamento ou descontentamento das pessoas em relação à prática deste governo. Mas mais uma vez concordo consigo não podem ser os sindicatos a mandar. E todos sabemos que isto não é efectivamente assim. O governo tem de governar porque foi eleito para tal. Quem não foram eleitas para governar foram as confederações patronais e no entanto elas, ao contrário dos sindicatos, condicionam e pressionam a governação.


De Lino José a 20 de Outubro de 2007 às 19:10
É assim : um sindicato ou uma federação de sindicatos têm todo o direito de fazer greves, organizar manifestações e até falar com os governos.

O que os governos não têm é de, obrigatóriamente, concordar com o que os sindicatos dizem, nem têm (nem devem !) mudar as suas orientações por via do números de manifestantes de uma manif, ou do nr de aderentes a uma greve. Já não estamos no PREC, e espero que o ciclo de governos fracos tenha acabado, de uma vez por todas.

Quem é mandatado pelo povo para governar são os governos não são os sindicatos, e aqueles não se podem submeter a estes.

Existem reformas urgentes para fazer, algumas delas duras, e que têm de ser feitas. A Espanha fê-las e está a colher os frutos disso mesmo.

E depois, é sabido, toda a gente vê, que o PCP manipula a CGTP. Ora, o PCP tem uma fracção ínfima dos votos. Seria uma verdadeira fraude que as pessoas dessem uma fracção ínfima de votos ao PCP para depois, no final, ser este a definir as politicas, por via das suas correias de transmissão, os sindicatos.

Portanto, o Sócrates tem toda a razão em pôr o Sr. Carvalho da Silva (e indirectamente o sr. Jerónimo de Sousa) nos seus respectivos galhos. E fazê-los notar, de forma clara, que quem governa é ele e os seu governo.

É isso que eu espero de um governo, quando me dou ao trabalho de ir votar.


De Floyd a 20 de Outubro de 2007 às 04:01
O Carvalho da Silva não é lacaio de nenhum partido. E mesmo sendo militante do PCP muitas vezes esteve em desacordo com o seu partido. Mas mesmo que assim não fosse ele é representante de uma instituição que merece respeito. Está de certa forma desajustado da realidade actual? Certamente. O movimento sindical hoje não é um poço de virtudes. A CGTP está demasiado ligada ao PCP. Contudo não representa o PCP. Na CGTP estão muitos trabalhadores de outras origens partidárias ou mesmo sem qualquer vínculo ideológico. Ignorar e isolar esta organização pode ser uma atitude muito pouco democrática mas infelizmente normal nas presentes circunstâncias. Sócrates está sedento de resultados e não tem muita margem de manobra. Só me pergunto é, se todos dizem que o comunismo morreu, porque raio têm tanto medo dos comunistas. Não me consta que os mortos possam atrapalhar o trabalho dos vivos...


De Lino José a 19 de Outubro de 2007 às 22:37
Há muito que esse palhaço lacaio do PCP, o Carvalho da Silva, andava a precisar de uma lição. E se o Sócrates lha deu, é sinal de que votei bem, e vou tornar a votar nele.

Esse tipo é um demagogo ao serviço do PCP e das quadrilhas corporativas dos FPs.

E depois tem a mania de que manda nos governos, que os intimida e os demite com manifs de carneiros, e alguém tem de o pôr no lugar.

Parabéns Sócrates !


De busilis a 19 de Outubro de 2007 às 20:14
A tactica da "negaçao",utilizada por este governo,esgotou-se.


Comentar post

Zero TV
ZERO DE CONDUTA
Filipe Calvão

José Neves

Pedro Sales

Vasco Carvalho


zeroconduta [a] gmail.com
Indecisão 2008
Subscreva
Zero links
arquivos

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Feeds