De Alexandre Lagoa a 31 de Outubro de 2007 às 12:21
Moriae: os professores não estão isentos de culpa, não. Não serão porventura os principais culpados; têm culpa na exacta proporção em que obedecem cegamente, sem pensar, aos programas estipulados pelo Governo - ou são tanto inocentes quando decidem, para além do programa estupulado pelo governo, fazer um pouco "trabalho por conta própria", de carácter semelhante a uma desobediência civil, em nome da Educação, com E grande, daquela que serve seres humanos e não pautas, e têm a capacidade de estimular os alunos de uma forma que o programa, por si só, não consegue. Nessa pequena diferença, que nem todos são capazes de estabelecer, é que está a diferença entre os bons e maus professores. Lembra-se do mito do "Clube dos Poetas Mortos"? Graças a deus, tive professores assim. E nos anos em que tinha professores assim, tirava notas como nunca antes tinha tirado. E agora?

Pôr as culpas todas no ministério é uma solução viável; antes deste, estavam outros, e antes desses outros, mais outros. Os professores de hoje são os alunos de ontem - não se lhes pode pedir muito mais. Mas não tenha dúvidas que também fazem parte do problema.

Ainda assim, descanse: não estou mesmo perto de chegar a Ministro da Educação.


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres